-

-

domingo, 15 de abril de 2018

A persistência da memória




O tempo se acabou
O tempo se foi
Numa piscada de olhos
Ele já se terminou

Um tempo perdido
Um tempo desperdiçado
Um relógio quebrado
O tempo parado

Vida tão frágil
Tão pequena
Tão pouco vivida
E já acabada

Quando viu a vida já se foi
O relógio parou.

Autora: Isabel Cristina

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.