-

-

terça-feira, 10 de março de 2020

Resumo do livro “As Crônicas de Nárnia” volume único. Parte III.


Leia antes a primeira segunda parte:



Dando continuidade ao resumo do livro “As Crônicas de Nárnia”.

Digory tinha razão, a feiticeira retorna para sua casa e trás consigo a maior confusão de cabriolés da polícia que a seguiam e moradores locais, após ter roubado uma joalheria. Tio André também está junto, após uma briga da rainha com as autoridades e moradores, Digory consegue tocar no calcanhar da dela e com o anel amarelo leva ela junto a Polly, tio André, um cocheiro pego no meio da confusão e o cavalo de Jadis montava. Voltam novamente ao bosque entre dois mundos, mas não demoram, pois o menino logo entra em um dos lagos que acredita levará a rainha de volta a Chairn, mas leva todo mundo junto novamente, pois todos estavam tocando nele e um no outro e deste modo o efeito mágico do anel verde levou todos juntos.

Chegam a uma dimensão vazia e escura, todos ficam apavorados, não há nada. Mas ao longe ouvem um canto, e devido a esse canto começam aparecer estrelas no céu, luz, e árvores e grama brotam do chão. Com o aumento da luminosidade veem que um leão canta enquanto a vida brota de seu canto. A rainha e o tio André ficam desconfiados e pedem para sair dali, mas todos os outros gostam do canto e sentem-se melhores, mais saudáveis e vivos. Tio André já especula em explorar o lugar financeiramente e Digory pensa que este lugar ou algo daqui poderia curar sua mãe Mabel. O menino então decide falar com o leão, e de repente o som do canto do leão se modifica e do chão começam a brotar em meio ao borbulhar da terra todos os tipos de animais. Então ele escolhe alguns, separa eles e sopra neles, e com uma voz profunda diz: “Nárnia, Nárnia desperte...” esses animais recebem o dom da fala e consciência. Da floresta surge todo tipo de animais e seres míticos, e todos clamam “Salve Aslam”! E os visitantes agora sabem o nome do leão criador.

Então com muito esforço o menino consegue se aproximar de Aslam  para pedir por sua mãe, Aslam o questiona o por quê de ter trazido o mal para o seu mundo recém criado, (se refere a rainha feiticeira), Aslam trata Digory pelo nome filho de Adão. O menino conta toda história para ele, o leão pede que ele seja fiel protetor dos animais que ele acabou de criar e pede ao menino que traga uma maça que nasce em uma cordilheira distante, pois precisa da semente dela para planta. Esta árvore que nascerá da semente protegerá Nárnia por séculos até que a rainha retorne. Para facilitar seu trabalho Aslam transforma o cavalo que veio com eles em um Pégaso, que recebe o nome de Pluma e voará com Digory. Aslam salienta que futuro sofrerá para que eles não sofram nas mãos do mal que chegou a sua terra.

Diante da presença do mal em seu mundo, Aslam convida o cocheiro para ficar e declara que fará dele o primeiro rei de Nárnia junto a sua esposa que por meio de um som emitido ele trás para Nárnia, sendo eles os primeiros reis daquela terra e que seus filhos o seguiriam no trono. Deveriam zelar pelos animais e por tudo, protegendo-os dessa força maligna invasora. 

Continua....

Resumo realizado por Leandro Claudir Pedroso

Você quer saber mais?

LEWIS, C.S. As Crônicas de Nárnia – Volume único. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.


Resumo do livro “As Crônicas de Nárnia” volume único. Parte II.


Leia antes a primeira parte:


Continuando o resumo do livro As Crônicas de Nárnia.

As crianças (Polly e Dygory) descobrem que tio André estava errado sobre os anéis, o amarelo retorna ao “Bosque entre dois Mundos” e verde saí do bosque. Assim elas entram em um dos lagos que estão no bosque e são levados a um pátio com vários prédios e arcos, um local muito antigo como puderam observar devido a aparência de ruínas e abandonado, todo o lugar é banhado por uma tênue luz vermelha. Entram em um grande salão adjacente ao pátio e veem várias cadeiras de pedra e figuras imóveis nelas sentadas, ricamente vestidas e com coroas nas cabeças, seus rostos transmitiam um ar de nobreza. No centro do salão havia uma mesa em formato de coluna e encima da mesa um arco com um sino com um martelinho perto, além de algumas inscrições indecifráveis, mas graças à magia que cercava o local a escrita aos poucos foi se tornando legível. O texto continha um alerta para aqueles que batessem o sino deveriam estar preparados para o perigo. Digory bate o sino, mesmo contrariando Polly, um som que vai aumentando é gerado da batida e espalhasse pelo salão, chegando a derrubar parte do teto. Uma das figuras sentada em um dos tronos, uma mulher muito alta e bela, acorda e se dirige às crianças. Pergunta quem são elas e conta que ela é a rainha daquele lugar que foi enfeitiçada, as crianças contam como chegaram ali e saem conduzidas pela rainha para fora do salão que já estava desabando. Chegam diante de uma porta cor de ébano que está fechada, e com um gesto a rainha destrói a porta. Do outro lado uma cidade igualmente abandonada, no céu um sol avermelhado e pálido brilha próximo a uma estrela.

A rainha fala para Polly e Digory que seu nome é Jadis e  aquela cidade é Charn, ela guerreou contra sua irmã rebelde e quando estava quase perdendo a batalha usou um feitiço proibido chamado “Palavra Execrável” e matou tudo que existia, isso explicou o por quê de não terem encontrado nada vivo até aquele momento. Conversando com Jadis, eles contam que seu mundo é diferente, que seu  sol é amarelo, ela concluí que seu mundo é mais jovem que o dela e acredita que  às crianças estão ali para levá-la para lá por ordens de algum feiticeiro que se apaixonou por sua imagem em alguma visão.  Ela deseja ir ao seu mundo para governar e pede que a conduzam até ele, ao rejeitarem ela agarra Polly, mas conseguem tocar nos anéis que estão em seus bolsos e voltam para o “Bosque entre dois mundos”. Ao chegarem nele, reparam que a rainha foi junto com eles, pois estava agarrada no cabelo de Polly, mas perdeu o vigor e às forças que tinha em seus mundo, pálida e fraca pede socorro para eles. As crianças correm para o lago de acesso a terra e tocam no anéis verdes, mas a feiticeira gruda na orelha de Digory e viaja junto com eles para Londres. Ao chegarem se deparam com o espanto do tio André que concluí que sua experiência saiu melhor do que imaginava. Jadis ao observar André concluiu que ele não é nenhum grande feiticeiro de linhagem real, mas um feiticeiro de livro, como ela mesma afirma.

A feiticeira se dirige ao tio André como seu servo e solicita uma carruagem para que inicie sua conquista, prontamente ele sai correndo para buscar. Jadis ignora a presença das crianças a partir daí e impaciente com a demora de André anda pela casa, encontra com a tia Letícia (Leta) que a interroga. Enfurecida Jadis tenta usar seus poderes nela, nada acontece aparentemente seus poderes não funcionam fora de seu mundo. André chega com um Cabriolé e leva consigo a rainha. Digory fica na casa esperando o retorno da rainha e André para encontra um meio de mandá-la de volta ao seu mundo.

Continua.....

Resumo realizado por Leandro Claudir Pedroso

Você quer saber mais?

LEWIS, C.S. As Crônicas de Nárnia – Volume único. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...