-

-

domingo, 29 de março de 2020

Crônicas esquecidas!


              Vejo por meio da neblina de muitas eras da antiguidade, tantas quando qualquer livro ou civilização possam ter vestígios. Somente por pedras encontramos os restos de um mundo há muito esquecido. Vejo antes que as grandes águas se erguessem, antes que sua civilização se degenerasse e abandonasse os caminhos da verdade do criador. Um mundo aonde as vimanas cruzavam os céus e às águas, unindo os dois grandes reinos de justiça, prosperidade e paz. A humanidade era uma grande família, não haviam guerras, doenças ou sofrimento, a longevidade de seu povo era inimaginável.

            Até que a escuridão foi derrubada na terra, ela corrompeu a ciência dos reinos, degenerou suas almas e mudou a ordem natural do criador. Os reinos das terras do Norte das grandes águas e do Sul das baixas águas se digladiaram em  um conflito hediondo, aonde sua ciência foi usada para replicar o poder do  Sol em armas e envenenar suas cidades. Então lágrimas do céu caíram, os abismos se abriram e os povos dos dois reinos  foram tragados pelas águas. Tudo que eram foi esquecido, mergulhado nas profundezas das águas e revolvidas  pela abertura dos abismos.


             Hoje o que restou deles é relegado aos mitos, mas o sonho dos fundadores dos reinos ainda vive dentro de seus descendentes das Terras Novas, sonho escondido nas entranhas de sua carne e de seu sangue. Sangue que clama por aquele que os criou: Bereshit bará Elohim (no princípio criou Deus)!

Leandro Claudir Pedroso

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...