-

-

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Escapando da sedução Liberal Democratica

Quando afirmo ser Integralista é porque creio em Deus e em Jesus Cristo e vejo o mundo de modo unificado sob o tríplice aspecto:

1-BEM

2-BELO

3-VERDADEIRO

Com os sub-aspectos:

1-PATRIÓTICOS

2RELIGIOSOS

3-MATERIALISTAS

4-ARTISTICOS

Rejeito a ciência total para aceitar a filosofia porque quando observo os estadistas brasileiros que são atingidos parceladamente, como o povo em geral e quase inconscientemente, pelos podridões judiciárias, legislativas, políticas, artísticas, bancarias e separatistas. Nunca possuindo um espírito de visão totalitária e harmônica, que vê a causa de todas as podridões, o manto do ouro maçom unificando-as e o poder oculto e sinistro das suas lojas. Como brasileiros devemos viver sob a união da cruz com o cruzeiro, como foram nossos heróis em suas vidas.

A santidade de Anchieta, a oratória e eloqüência de Vieira, a energia e coragem de Feijo, a visão patriótica do Cardeal Dom Leme, o político da unidade patriótica Pinheiro Machado.

A religião é o maior poder unificador, maior que a lei, que a língua, que a etnia e que o exército.

O problema social-politico do Brasil não pode ser resovido por partidos políticos localizados em trechos da Pátria, pois é um problema universal, que será solucionado com doutrina e não com partidos.

Vendo a harmonia nas manifestações naturais do homem na terra e todas as suas belezas através dos princípios unificadores do Bem, Belo e Verdadeiro.

Vejo, também a harmonia nas manifestações contrarias a natureza do Homem, vejo todos os males sociais unificados pelo banqueirismo internacional, de parceria com a maçonaria, com o Liberalismo da Revolução Francesa, com o comunismo e com o sensualismo abominável e dissoluto.

Na doutrina do Homem Integral tenho uma visão totalitária e harmônica do universo. Porque todos os brasileiros de norte a sul responderam com soluções uniformes ao mesmo problema nacional.

As sociedades secretas ocasionam os grandes males sociais e políticos notadamente, porque ela provoca guerras internacionais com o objetivo de acumular ouro.

A maçonaria não sofrerá nenhuma guerra do ponto de vista “religioso”, todavia, não lhe será permitida a política de monopolizar o ouro e desnacionalizar o Brasil.

Desejo ver um Brasil Imperialista dentro das suas fronteiras. Almejo um governo forte, não baseado e encostado no capital internacional, mas em tropas armadas para impedir que a FORÇA OCULTA continue a governar no Brasil, impedindo que esse pode desagregante continue a destruir os brasileiros.

Como irmãos devemos combater o capital internacional que trabalha para aniquilar nossas forças armadas que protegem nossa Amazônia tão desejada pelas forças ocultas que governam o mundo.

Como brasileiros devemos ostentar a altivez do espírito nacionalista e os feitos militares heróicos de nossos irmãos. Consolidando o Imperialismo dentro das nossas fronteiras, pela bandeira Deus, Pátria e Família. Por uma visão totalitária da força e não somente uma idéia parcelada dessa mesma força, pois vejo tudo em luta, tudo em confusão se esfacelando. O cristianismo defende Deus, Pátria e Família há dois mil anos.

Nosso capital e trabalho deve ter raízes firmes em nossa terra e não ser afugentado da TERRA DO CRUZEIRO para povos estrangeiros.

No Integralismo temos uma doutrina espiritualista, aonde o importante fundamento é manter a Igreja unida ao Estado e não como ensina o mentiroso Estado Liberal, onde o que mais importa é não termos religião. Essa atitude não é de neutralidade, mas de má fé que objetiva organizar por influência maçônica um programa vastíssimo de ensino: fazer o povo compreender um Estado sem Deus, mesmo diante do discurso da existência do Grande Arquiteto para os maçons.

A Igreja no Estado impõe-se como domínio doutrinário poderoso, respeitado e necessário o espírito da religiosidade para a felicidade do Homem. A ciência sem Deus não poderá pregar o Ateísmo néscio e insolente, ela ficará limitada materialmente aos laboratórios, e sem as belezas do espiritualismo.

Pois o sábio adquire o Bem quando, com Amor ao Belo, unifica a Verdade. O ser é tão mais perfeito quanto menos se subdivide em condição de vida reinante.

A maçonaria representa a Liberal Democracia que julga, legisla e governa no escuro. Por isso devemos combater esse poder oculto que está encoberto por um véu de santidade, enquanto na realidade é TIRANO e ABSOLUTO. A maçonaria julga no escuro antes do julgamento oficial da Liberal Democracia. Julgam impiamente com mentiras secretas que caracterizam todos os movimentos revolucionários. A organização é secreta até mesmo para aqueles que ocupam grau elevado.

O VOTO UNIVERSAL é outra mentira da Libera Democracia maçônica que coloca um povo sem doutrina para sustentar o governo que deseja antes de lhes dar doutrina e depois o poder do voto indireto. Porque veja bem, mesmo se os eleitores forem contra o aborto, poderão eleger uma câmara favorável ao mesmo tempo. Pois em geral não há ligação intelectual econômica social, enfim, de nenhuma espécie entre o eleito e o eleitor. Na Liberal Democracia o povo não tem doutrina pode sustentar qualquer forma de governo que deseja, mas, nunca aquela que merece.

Os legisladores por sua vez, nunca poderão defender os interesses daqueles que os elegeram, pois cada representante do povo não consegue interpretar o amontoado de sentimentos de opiniões, de interesses disparatados, confusos, contraditórios do aglomerado que , cheio de ardor nacionalista, separatista, espiritualista e materialista,usa com elegância polida uns, abraçados pelo entusiasmo outros, que quando em vez, do democrático sufrágio universal, sufrágio englobado de cujo auxilio poderoso dos banqueiros internacionais.

Possuem um único objetivo governar contra os interesses dos povos que escravizão. Estabelecendo pelo voto direto câmaras confusas, eleitas como armas para combater as idéias de Deus, Pátria e Família.

No regime do Estado Corporativo o voto universal desaparecerá e com ele, o isolamento do homem cívico que será considerado dentro do grupo profissional com caráter acentuadamente nacionalista, isto é, com a negação do interclassismo. Até quando as coisas continuaram assim? Até que surja, iluminada pelo CRUZEIRO, a onda verde que fundirá um Pátria Imperialista dentro de suas fronteiras.

O indiferentismo religioso, do Estado Liberal, que manda mostrar e ensinar coisas degradantes ao povo. E o pior ainda explica que não pode fazer nada senão é censura.

Devemos é provocar,pela doutrina, uma revolta interior contra os hábitos da Liberal Democracia que sempre de forma desenfreada nos seus apetites, devastadores nas suas formas, enganosas para o proletariado e sempre desejada pelo burguês sensualista e obsceno. No dia em que o brasileiro deixar de olhar o passado, o presente e o futuro pelo binóculo maçom, nos apresenta o inverso daquilo que é compreenderam o quanto estavam sendo enganados.

Na Liberal Democracia não há juramentos e sim obediência humilhante aos chefes. No Integralismo há juramento à doutrina encarnada nos chefes também por eles juradas. Pois precisamos de vultos como José Bonifácio, o libertador de nossa pátria, de Almeida Junior, o pintor das nossas bandeiras, de Vicente de Carvalho, o estilizador dos nossos mares, de Padre Bartholomeu, o rasgador dos nossos ares, a bravura do Cacique TIBIRIÇA, na defesa de Piratininga contra as nações confederadas.

Porque unicamente a abundância de frutos não faz a gloria de um povo, necessitamos não só de braços que produzam frutos, mas também de corações, não importando se humildes como a violeta, se ostentadores das sua beleza como a rosa, precisamos de fraternidade heróica.

Infeliz do povo que não pode cantar as grandezas dos seus filhos. Porque a grandeza da pátria é exclusivamente medida pela grandeza moral e intelectual daqueles. Temos em nossos em nossos heróis nacionalistas os tipos representativos da defesa do ouro, da união, da delicadeza feminina, da fraternidade heróica, do saber e da religião, elementos essenciais para a grandeza dos povos.

Hoje, senhores precisamos de verdadeiros CACIQUES TIBIRIÇAS para a defesa da nossa nacionalidade das potencias financeiras. Precisamos reafirmar a unificação para combater o vicio de descentralização em especial pela unificação da justiça e da lei eleitoral. Para tanto precisamos do poder moderador dos corações femininos refrescando com pétalas de rosas de sabedoria as chagas dos infelizes.

Devemos propagar o estudo da filosofia elevando nossos olhos para o TODO PODEROSO, pois os camisas verdes defenderam com doutrina e amor nosso Brasil.

Você quer saber mais?

A.A.Pompêo, Porque é que sou Integralista, Empresa Graphica “Revista dos Tribunaes” São Paulo, 1935.

hhttp://www.desconstruindo-as-sociedades-secretas.blogspot.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.