-

-

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Julgamento da História. Georgios Papadopoulos, herói ou vilão?



Coronel Georgios Papadopoulos em discurso ao povo grego. Imagem: RWF.

O coronel Georgios Papadopoulos, foi o chefe militar do golpe de Estado ocorreu na Grécia em 21 de Abril de 1967 e líder do governo militar que governou o país de 1967 a 1974. Papadopoulos era um coronel de Artilharia . Durante a Segunda Guerra Mundial, inicialmente lutou contra a invasão italiana em 1940 ele tornou-se foi forçado a colaborar com os nazista nos Batalhões de Segurança em troca de parcial independência da Grécia, e nos anos do pós-guerra, ele recebeu treinamento da inteligência nos Estados Unidos e se tornou um agente da CIA. Ele deteve o poder ditatorial na Grécia de 1967-1973, até que ele próprio foi derrubado por seu co-conspirador Ioannidis Dimitrios . Papadopoulos foi o foi o primeiro agente da CIA a governar um país europeu.

Papadopoulos nasceu em Elaiohori em 5 de maio de 1919 , numa pequena aldeia da provincia de Acaia no Peloponeso, filho de um professor, Christos Papadopoulos e sua esposa Chrysoula. Ele era o filho mais velho e tinha dois irmãos, Konstantinos e Haralambos. Ao terminar o Ensino Médio em 1937, ele se matriculou na Evelpidon Scholi. Ele completou o seu ciclo de três anos, em 1940. Papadopoulos, participou de um curso de engenharia civil na Escola Polytechneion mas não chegou a se formar.

Durante a Segunda Guerra Mundial . Papadopoulos participou da ação de campo como segundo tenente da artilharia contra os italianos e as forças da Alemanha nazista , que atacaram a Grécia em 6 de abril de 1941. Durante a subsequente ocupação da Grécia pela Alemanha nazista , Itália e Bulgária, Papadopoulos trabalhou para o "Oficia de Abastecimento em Patras” do governo grego.

O "Escritório Abastecimento em Patras" foi criado sob o comando do coronel Kourkoulakos, um oficial que era responsável pela formação dos " Batalhões de Segurança ", em Patras. Esses batalhões foram forçados sob coerção a colaborar com as unidades militares, criadas pelo governo fantoche da Grécia de Ioannis Rallis em 1943, a fim de apoiar as tropas alemãs de ocupação. Eles foram apoiados por alguns políticos centristas que estavam preocupados com o domínio da ELAS (o braço militar do comunista dominado Nacional Frente de Libertação da EAM) como o corpo principal da resistência grega. Entre os membros dos Batalhões de Segurança haviam  ex-militares e oficiais, soldados recrutados violentamente, fanáticos e párias sociais, bem como oportunistas comuns que acreditavam que o Eixo iria ganhar a guerra.

No início de 1944, Papadopoulos deixou a Grécia com a ajuda de agentes de inteligência britânica e foi para o Egito, onde o governo grego no exílio foi baseado, recebeu a patente de tenente. Junto com outros de oficiais da direita e militares, ele participou da criação e da organização nacionalista de extrema-direita IDEA, no outono de 1944, logo após a libertação do país. Esses oficiais 1940 que foram para o Egito com o rei imediatamente após a invasão alemã tinham atingido o posto de general, quando seus colegas ainda-coronel assumiu o golpe de Estado de 1967.

A Phoenix e a silhueta do soldado que carrega um rifle eram o emblema da Junta.

Em 1946, ele recebeu a patente de capitão e, em 1949, durante a guerra civil grega , ele subiu para o posto de Major. Ele serviu no KYP Serviço de Inteligência 1959-1964 como o principal contato entre o KYP e o topo CIA que operava na
Grécia com, John Fatseas , após receber treinamento da CIA em 1953.

Papadopoulos também foi um membro da corte marcial no primeiro julgamento do conhecido líder comunista grego Nikos Beloyannis em 1951. Naquele julgamento, Beloyannis foi condenado à morte pelo crime de ser um membro do Partido Comunista, que foi proibido na Grécia após a guerra civil grega . A sentença de morte pronunciada após este julgamento (Papadopoulos votou contra a pena de morte) não foi realizada, mas Beloyannis foi posto a julgamento novamente em início de 1952, desta vez por espionagem alegado, após a descoberta de transmissores de rádio usados secretamente por comunistas gregos para se comunicar com a liderança exilada do Partido na União Soviética . No final deste julgamento, ele foi condenado à morte e imediatamente fuzilado. Papadopoulos não estava envolvido neste segundo julgamento. O julgamento foi por corte marcial sob a legislação anti-insurgência grega datando da época da guerra civil grega , que se manteve em vigor até o fim da guerra.

Em 1956, Papadopoulos participou de uma fracassada tentativa de golpe contra Paulo da Grécia . Em 1958, ele ajudou a criar o Gabinete de Estudos Militares , uma vigilância de autoridade. Foi a partir deste mesmo escritório que o golpe posteriormente seria bem-sucedido em 21 de abril de 1967 surgiu.

Em 1964, ele foi transferido para uma divisão de artilharia na Trácia. Em junho de 1965, dias antes de o tumulto político conhecido como Apostasia , Papadopoulos alcançou as manchetes nacionais. Ele prendeu dois soldados sob seu comando e oito civis de esquerda de assentamentos perto de seu acampamento militar, sob as acusações de que eles haviam conspirado para sabotar veículos do exército, derramando açúcar em tanques dos veículos a gás. As 10 pessoas foram presas, mas, foram soltos por falta de provas. Em 1967, Papadopoulos foi promovido a coronel .

 Rei Constantino II, com Papadopoulos e membros da junta militar. Imagem: RWF.

No mesmo ano, em 21 de abril (um mês antes das eleições gerais) Papadopoulos, junto com colegas oficiais de médio escalão do Exército, liderou um golpe bem sucedido, aproveitando-se da situação política volátil que havia surgido a partir de um conflito entre o rei Constantino II e do ex-primeiro-ministro, Georgios Papandreou . Papadopoulos aproveitou esse cenário política na Grécia para o golpe de Estado.

Desde as fases iniciais Papadopoulos emergiu como o homem forte do novo regime. Ele foi nomeado ministro da Defesa Nacional e Ministro da Presidência no primeiro governo, e sua posição foi reforçada em 13 de dezembro, ele tornou-se primeiro-ministro. Além disso, em 21 de março de 1972, ele nomeou a si mesmo como regente da Grécia , sucedendo Georgios Zoitakis .

O regime de Papadopoulos impôs a lei marcial, censura, prisões de membros e simpatizantes comunistas e espancamentos contra eventos públicos de esquerda que eram proíbidos . Milhares de opositores políticos do regime foram lançados na prisão ou exilados em pequenas ilhas do mar Egeu. Papadopoulos dirigindo-se sobre esse tema, afirmou que isso estava sendo feito para salvar a nação de uma "tomada de poder comunista." Por causa do regime firme posição anti-comunista, foi fortemente apoiado pelos Estados Unidos.

O governo militar dissolveu os partidos políticos, apertou o cerco contra as organizações de esquerda e sindicatos, e promoveu um tradicionalista cultura greco-cristã. Ao mesmo tempo, no entanto, a economia, principalmente devido à estabilidade política trazida pelo regime, melhorou muito e as extensas obras públicas, como a construção de rodovias, reformas nas questões agrícolas e eletrificação, foram realizadas por toda a Grécia, mas especialmente nas áreas mais atrasadas e rurais.

Após a restauração da democracia, Panagoulis foi eleito membro do Parlamento. Panagoulis era considerado uma figura emblemática da luta para restaurar a democracia.

Papadopoulos afirmou em 1968 que estava ansioso por um processo de reforma e ainda tentou entrar em contato com Markezinis Spiros na época. Ele havia declarado no momento que ele não queria que a Revolução se tornasse um regime. Ele, então, repetidamente tentou iniciar reformas em 1969 e 1970, apenas para ser impedido pelos radicais incluindo Ioannides. Em 1970 falhou sua tentativa de reforma, ele ameaçou demitir-se e foi dissuadido pelos aliados que renovaram sua fidelidade pessoal a ele.

Papadopoulos tentou legitimar o regime pelo início de uma "democratização" gradual. Em 1 de junho de 1973, ele aboliu a monarquia e declarou-se presidente da República, depois de um referendo. Ao mesmo tempo, muitas restrições foram levantadas, e o papel do exército foi reduzido significativamente. Papadopoulos estava obstinado em estabelecer uma república presidencial , com amplos poderes conferidos ao cargo de Presidente, que ele mantinha. 

 Papadopoulos, junto ao povo grego. Imagem: Sansimera.

Após os acontecimentos da revolta estudantil de 17 de novembro, na Universidade Técnica Nacional de Atenas, seu governo foi derrubado em 25 de Novembro de 1973 por elementos de linha dura do Exército, insatisfeitos com as mudanças e a liberdades que Papadopoulos pretendia estabelecer. O Brigadeiro Dimitrios Ioannides teve seu pretexto para derrubá-lo e substituí-lo como o novo homem forte do regime. Papadopoulos foi colocado sob prisão domiciliar em sua casa de campo, enquanto a Grécia voltou a uma ditadura "ortodoxa" militar.

Após a democracia foi restaurada em 1974, durante o período de mudança de regime, Papadopoulos e seus companheiros foram julgados por alta traição. Em 23 de Agosto de 1975, foram considerados culpados e foram condenados à morte , que mais tarde foi comutada para prisão perpétua. Papadopoulos permaneceu na prisão, rejeitando uma anistia ofertada que exigia que ele reconhecesse seu registro de alta traição e expressasse remorso. Ele rejeitou confessar alta traição, que ele considerava uma injustiça, até sua morte em 27 de junho de 1999, aos 80 anos, quando ele faleceu de câncer em um hospital de Atenas. Ele havia estado no hospital para tratamento de câncer desde 1996.

Hoje, Papadopoulos é um símbolo de autoritarismo para alguns gregos. Para outros ele promoveu a cultura grega, através da imposição de uma mão forte, e através de sua luta contra o comunismo, salvou a Grécia da maré vermelha que vinha da União Soviética. Depois da restauração da democracia, algum apoio para as políticas de Papadopoulos permaneceu e foi, durante muito tempo, representada pela União Política Nacional (EPEN), um pequeno partido político, que o declarou seu líder honorário.

Leandro Claudir

COPYRIGHT ATRIBUIÇÃO - NÃO COMERCIAL © 

Copyright Atribuição –Não Comercial© construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Não Comercial.  Com sua atribuição, Não Comercial — Este trabalho não pode ser usado  para fins comerciais. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.



Você quer saber mais? 





                                                                                                       



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.