-

-

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Revista Integralista ilustrada Brasil Feminino (1932-1937).

Revista Brasil Feminino, n.38./setembro de 1937.

Autor: Jorge Figueira*


A revista ilustrada “Brasil Feminino”, dirigida pela blusa-verde Iveta Ribeiro, circulou em todo o território nacional no período de 1932 a 1937. Ao periódico caberia a disseminação da doutrina do Sigma através da Secretaria Nacional Arregimentação Feminina e Plíniana - S.N.A.F.P, um importante órgão administrativo da Acção Integralista Brasileira (1932-1937) que usaria a revista como seu principal difusor para público feminino.

Em suas diversas páginas, a revista publicou diretrizes, estatutos e protocolos direcionados as blusas-verdes. Além dos artigos as fotografias chamam à atenção na revista, se destacando as imagens das participações de blusas-verdes em atividades Integralistas como, professoras, assistentes sociais e enfermeiras. A publicação destas fotos tinha como principal objetivo incentivar a participação de novas mulheres nas fileiras da AIB, que anteriormente eram marginalizadas da política nacional.

Outra importante função da revista “Brasil Feminino” era a divulgação de conferencias, cursos, simpósios e congressos da Acção Integralista Brasileira. As publicidades destes eventos eram feitas de forma inusitada e tiveram grandes resultados, tornando a militante presença importante nas manifestações Integralistas.

Infelizmente hoje encontrar um exemplar deste periódico não e uma tarefa fácil, a maioria se encontra em arquivos privados de colecionadores sobre o Integralismo. Aos que desejarem pesquisar alguns exemplares poderão se dirigir a Biblioteca Nacional, localizada na cidade do Rio de Janeiro.

Você quer saber mais?

http://www.integralismorio.org

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.