-

-

quinta-feira, 21 de março de 2013

A Cultura Mochica. PARTE I.



Mapa do Território Mochica. Imagem: Discovery Brasil Uol.

A descoberta da tumba real de Sipán em Huaca Rajada, e as investigações em Huaca El Brujo, nas tumbas de Sicán e em Huaca de la Luna, provocaram um renascimento do interesse mundial pelas civilizações perdidas do norte peruano, que reconhecem nos Moches, um dos povos de maior influência na América pré-hispânica.

A cultura Moche ou Mochica surge e se desenvolve na longa e estreita margem desértica da costa norte do Peru, entre os séculos I e II, até o século VIII. Esta área o epicentro cerimonial de sua cultura que, em pleno apogeu, abrangeu os atuais territórios de Piura, Lambayeque, La Libertad e Ancash, até o porto de Huarmey.

A sociedade Mochica era estabelecida em hierarquias muito marcadas que, com a falta de haver desenvolvido algum tipo de escritura, ficou refletido em sua abundante produção de cerâmicas ou “huacos” (cemitérios indígenas). A pirâmide desta sociedade teocrática era encabeçada pelos Senhores, com poderes territoriais e religiosos. Os sacerdotes se conformavam com um segundo estrato, que podia ser integrado por mulheres sacerdotisas, assim como os Chimus. O terceiro estrato era o do povo, que realizava os trabalhos de campo e os ofícios. Esta divisão da sociedade em castas, governadas por caciques ou sacerdotes de diferentes vales, se uniu formando um único governo mais tarde.

Os Moches eram evidentemente guerreiros, como mostram as cenas de luta, as multidões de guerra entrelaçadas de maneira heráldica, os escudos nas decorações das vasilhas e as representações esculturais individuais. Os guerreiros gozavam de um status especial e formavam pequenos exércitos profissionais.

Para os Mochicas, amantes da vida, a morte não constituía o fim. Os homens continuavam vivendo em outra esfera do mundo com suas mesmas obrigações ou privilégios, razões que levava ao sepultamento com provisões e bens. Os enterros refletiam assim a função e o lugar de cada homem dentro da sociedade. As tumbas Moches possuem uma decoração muito mais rica do que as de épocas anteriores, e os mortos são sempre colocados sobre as costas. Os grandes personagens eram enterrados juntos a dezenas de vasilhas, garrafas, jarros, bandejas e recipientes com decorações em relevo que representavam frutos, animais, homens e deuses. Os cadáveres levavam valiosos pendentes, mosaicos de turquesa gravada em ouro, colares de contas de ouro e medalhões com rostos humanos.

COPYRIGHT ATRIBUIÇÃO - NÃO COMERCIAL © 

Copyright Atribuição –Não Comercial© construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Não Comercial.  Com sua atribuição, Não Comercial — Este trabalho não pode ser usado  para fins comerciais. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.



Você quer saber mais? 



































LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.