-

-

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

George Washington

“A administração da justiça é o mais solido pilar do governo.”

George Washington nasceu em 1732, na colônia inglesa da Virgínia, sendo o segundo filho de um abastado fazendeiro da região. Embora tenha sido treinado para trabalhar como agrimensor, muito jovem ainda destacou-se como soldado, prestando serviço à Coroa britânica na Guerra contra os Franceses e os Índios. Em 1759, tornou-se membro do Parlamento da Virgínia e um dos líderes da oposição à política colonial inglesa. Escolhido como delegado aos Congressos Continentais – assembleias de representantes das treze colônias -, no segundo deles, em 1775, foi nomeado comandante chefe das forças rebeldes.

Após o sucesso da revolução emancipadora, Washington liderou a Convenção Constitucional, a assembleia que se encarregou de criar a estrutura de governo do país recém-formado. Em 1789, a nação que passara a ser conhecida como os Estados Unidos da América elegeu George Washington como seu primeiro presidente. Nesse cargo, ele organizou o Poder Executivo e o Poder Judiciário, criou o primeiro banco do Estado e instituiu tarifas alfandegárias para proteger a produção nacional, tarefas nas quais demonstrou a mesma habilidade e capacidade de liderança que caracterizaram sua atuação no campo de batalha.

Washington não apenas manteve unidos os treze Estados conflitantes durante os críticos primeiros anos de governo, mas também estabeleceu linhas de ação – política, econômica e nas relações internacionais – que continuam a moldar a atuação dos Estados Unidos ainda hoje.


BRUNS, Roger. Os Grandes Líderes: Washington. São Paulo: Nova Cultura, 1987.

Otto von Bismarck, o Chanceler de Ferro.

“A História é simplesmente um pedaço de papel coberto de tinta; o principal ainda é fazer a História, não escrevê-la.”

Um dos mais importantes estadistas europeus do século XIX, Otto von Bismarck foi o responsável pela unificação dos 39 Estados que deram origem à nação alemã. De vontade inflexível, valeu-se tanto da força bruta como de uma fria e calculada astúcia com o objetivo de obter poder para sua Prússia natal e para si próprio.

Bismarck nasceu em 1815, numa família pertencente à nobreza prussiana. Depois de frequentar a Universidade de Göttingen e a de Berlim, e fracassar na tentativa de fazer carreira no Exército e no funcionalismo público, entrou na política aos 32 anos, como delegado na Dieta Unida. Com arrogância e violência, o jovem aristocrata defendeu a monarquia dos Hohenzollern com os liberais e nacionalistas que exigiam a unificação e um governo constitucional. Férreo defensor do poder absoluto do rei, em 1862 foi indicado por Guilherme I para ocupar os cargos de primeiro-ministro e chanceler.

Bismarck adotou uma política externa agressiva, baseada nos princípios da Real-politik, mediante a qual conseguiu acabar com o domínio da Áustria sobre os Estados do norte alemão e isolar durante muitos anos a grande inimiga da Prússia, a França. Após ter completado a unificação da Alemanha, em 1890 o governo autocrático de Bismarck foi encerrado pelo Kaiser Guilherme II, que exigiu o afastamento do velho “Chanceler de Ferro”.


ROSE, E. Jonathan. Os Grandes Líderes: Bismarck, São Paulo: Nova Cultura, 1987.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.