-

-

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Resenha do filme Ágora (Alexandria. Pt. Br.)


A atriz britânica Rachel Weisz, interpreta Hipátia. 

______________________________________________________

Autor: Construtor CHH

O filme Ágora (que em grego significa assembleia ou lugar de reunião) passa-se na cidade de Alexandria no ano de 391 d.C, após Império Romano adotar o Cristianismo como religião oficial. Aonde muito oficiais romanos converteram-se unicamente por interesse de status e poder na sociedade romana. Podemos ver no filme segundo a visão do diretor e produtor grupos de cristãos da antiguidade que matavam os gregos politeístas e queimavam papiros e pergaminhos que continham dados antiquíssimos da história e ciências humanas. Mas o diretor deixa de abordar que me grande parte foi por ignorância, pois esses cristãos em sua maioria eram iletrados e não tinha ideia do prejuízo que estavam causando para a civilização humana.

A figura central do filme ‘Ágora’ é Hipátia, uma filosofa, matemática e astrônoma que era uma figura revolucionária para sua época principalmente por ser mulher e estar a frente da educação de homens. Em várias cenas aparece a biblioteca de Alexandria com seus escrito milenares, debates em praça pública entre cristãos e politeístas, aonde realizavam provas sobre qual Deus ou deuses era mais poderoso  e protegeria o seu seguidor de passar pelo fogo sem se ferir. Em um desses debates acaba em tragédia, pois o sacerdote politeísta não consegue passar pelo fogo como o cristão e acaba morrendo queimado. Os politeístas consideram o cristianismo um perigo para suas tradições e costumes.

O filme também aborda as relações da professora Hipátia com seu escravo Davus que demonstra grande interesse por filosofia, matemática e astronomia e ela como professora valoriza o interesse de Davus pelo conhecimento. Hipátia em suas aulas fala sobre a união e não a divisão entre seus discípulos mesmo que os cristãos e politeístas divirjam de opiniões e teorias.

 Por está época o Bispo Cristão de Alexandria era Theophilus e durante esse bispado o escravo Davus de Hipátia converte-se ao Cristianismo. Davus desde o inicio da trama demonstra gostar de Hipátia mais que uma professora e Orestes outro aluno de aluno deseja casar-se com ela, mas ela não deseja o casamento com homem algum prefere os estudos e as letras, pois o casamento lhe privaria dos mesmos.

Após o incidente na praça aonde um sacerdote politeísta acabou queimado em um desafio do Deus ou deuses mais poderosos os politeístas decidem organizar um ataque aos Cristãos e começam a distribuir espadas entre seus fieis, Hipátia demonstra grande desagrado com esses acontecimentos. Quando o ataque dos politeísta tem inicio o Bispo Theophilus estava pregando na ‘Agora’ da praça central, quando tem inicio o ataque dos politeístas que atacam homens, mulheres e crianças indefesos, matando e mutilando. No desenvolver desse evento Davus, o escravo de Hipátia escolhe seu partido na batalha ao lado dos Cristãos que ao final invertem o ataque por ser a maioria e os politeístas acabam tendo que recuar para dentro dos muros da Biblioteca de Alexandria, ficando sitiados.

  No decorrer dos dias de sitio que se passam começa a faltar comida para os politeístas que mesmo sitiados incitam e provocam os Cristãos por cima dos muros  com expressões como “pesão caixões para seu Deus carpinteiro!”. Durante o sitio sem ter o que fazer o filósofos começam a divagar sobre os corpos celestes, os Errantes (que são os planetas), as estrelas e as teorias sobre a Terra e seus ciclos  e o das estrelas errantes. Abordam a hipótese de Aristarco sobre a Terra se mover, dentre outros assuntos.

 O prefeito romano de Alexandria ao tomar conhecimento dos últimos acontecimentos na cidade, escreve um édito e envia a mesma. O édito é lido em frente aos portões da Biblioteca de Alexandria para que os politeístas e Cristãos possam ouvir. No Édito o prefeito de Alexandria perdoa os politeístas insurgentes e permite que eles saiam do Seapeum e deixem os Cristãos entrarem no Serapeum da Biblioteca e façam uso dele. Por ser iletrada a maioria não sabia a importância dos documentos presentes na biblioteca, pois achavam que estavam relacionados com os deuses do politeísmo e não com ciência, história e outras artes. Durante esse acontecimento Hipátia junto com alguns de seus alunos tenta salvar pergaminhos e papiros desesperadamente. O principal grupo cristão responsável pelo ataque à biblioteca de Alexandria foi a Ordem dos monges Parabolanos.

                   Davus, ex-escravo de Hipátia agora um monge parabolano, está dividido entre sua mestra e a fé Cristã, ele ataca Hipátia em certo momento do filme e  depois desiste entregando uma espada para que Hipátia o matasse por tê-la atacado, ela larga a espada no chão em um gesto de piedade e sai. Por esse período somente ritual cristão e judaico são permitidos em Alexandria. Foi quando falece o Bispo Theophilus e sobe ao bispado o Bispo Cirilo. Com o Bispo Cirilo tem inicio os confrontos com os judeus. Ao mesmo tempo Orestes ex-discipulo de Hipátia torna-se prefeito de Alexandria e converte-se ao cristianismo por interesses pessoais como ascensão ao poder.

Mesmo com todos esses eventos ocorrendo Hipátia continua suas pesquisas em relação aos Errantes (planetas).

Enquanto isso o atrito entre judeus e cristãos aumenta, após os judeus armarem uma cilada para os cristãos dentro de uma igreja aonde dezenas são mortos a pedradas por judeus. Após o Bispo Cirilo saber do incidente organiza uma resposta aos judeus. Grupos de cristãos sob ordens do Bispo Cirilo atacam os judeus e seus comércios.

O prefeito Oreste e os governantes de Alexandria não sabem o que fazer para acabar com os conflitos, pois não possuem legiões suficientes para deter as agressões mutuas dos grupos divergentes. Devido a isso os judeus fogem de Alexandria derrotados.

Hipátia que continua em seus estudos e descobre na visão do filme que os errantes seriam explicados através de elipses e não círculos. Ela tem esse vislumbre através do cone de Apolonio.

A partir de agora o Bispo Cirilo volta-se para Hipátia, pois vê nela uma oposição. Hipátia é acusada de ateísmo e bruxaria. Após ser levada para ser apedrejada pelo parabolanos, Davus, seu ex-escravo mata ela asfixiada sem que os outros parabolanos vejam e diz para eles que ela desmaiou,  pois não desejava que ela morresse apedrejada com muito mais sofrimento. Hipátia é apedrejada depois de morta, mas os parabolanos não souberam disso. 

O filme foi proibido no Egito pela censura, por conter cenas consideradas um insulto para a religião. O “Observatório Anti-difamação Religiosa” protestou contra o filme por "promover ódio ao cristianismo e reforçar falsos clichés sobre a Igreja Católica". O filme teve problemas de distribuição nos Estados Unidos da América e Itália.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.