-

-

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

O Ramayana e a ponte mais antiga do mundo.



Para um melhor entendimento desta postagem leia também o texto: "A ponte de Adão ou a Ponte de Rama citada no Ramáiana é localizada."

A Ponte, Adão e a NASA.

A NASA disponibilizou uma foto obtida pela missão Space Shuttle 59 na qual se constata a existência de uma ponte, sob o Oceano Índico construído artificialmente, ligando a Índia ao Sri Lanka.

Esta ponte antiga e misteriosa fica no  Palk Strait e unia a Índia ao Sri Lanka. A ponte recentemente descoberta foi chamada de "Ponte de Adão", é feita por uma cadeia de baixios e tem 30 quilômetros de comprimento. A curvatura da ponte e a sua composição revelam que foi construída pelo homem.

 As lendas, como também alguns estudos arqueológicos, revelam que os primeiros sinais de habitantes humanos na região do Sri Lanka datam de 1.750.000 anos atrás. O que, alias, é a idade estimada da ponte. O Ramayana, um velho texto iniciático hindu, fala de acontecimentos ocorridos na época de Tetra Yuga (mais de 1.700.000 anos atrás).  Nesta epopeia, há uma menção sobre uma ponte que foi construída entre Rameshwaram (a Índia) e Srilankan, sob a supervisão de uma figura dinâmica e invencível chamada Rama que é dizem ser a encarnação do supremo.

Como tudo começou

A história principal você já deve conhecer. Primeiro homem, primeira mulher a velha serpente, o pecado, o castigo. Depois vieram os filhos. Um mata o outro e ganha o mundo. O que você não conhece é o resto da história. Segundo uma lenda muçulmana o pobre Adão, cansado de tantos problemas, amargurado e arrependido, também ganhou o mundo. E batendo aqui, batendo ali, acabou no topo da montanha Sinhalese Samanalakanda no Sri Lanka e lá, em pé, chorou seus pecados, parado no mesmo lugar por mil anos olhando aos céus em busca de redenção.


Sinhalese Samanalakanda, ou Montanha das Borboletas, fica na região central do Sri Lanka. Há no topo da montanha uma rocha, com 1,8 m onde está à pegada de Adão, segundo a tradição Muçulmana, de Buda segundo a tradição budista ou de Shiva segundo a tradição Tamil. Graças à tradição muçulmana o monte também é conhecido como Pico de Adão.

Uma outra tradição, também ligada aos muçulmanos da área, narra que a pegada foi deixada por Adão, não em mil anos, não em uma tentativa de expiração mas sim no momento em que ele tocou a terra pela primeira vez, assim que foi expulso do Éden. Segundo esta tradição, o Éden não ficava muito longe dali. O Sri Lanka era o paraíso.

Vamos, só para facilitar, ficar com a primeira tradição. E vamos voltar o Éden para a Mesopotâmia, ou na Turquia de hoje. Em fim, em algum lugar do oriente médio próximo, onde, segundo a nossa tradição ocidental, deveria estar. Se assim for, como Adão poderia ter chegado ao Sri Lanka?

A nado? Se a geografia não estiver afiada, lembro que o Sri Lanka é uma ilha, no sul da Índia. Muito bonito, grande, misterioso e milenar. Ainda assim, uma ilha. Agora chegamos em Marco Polo.

Marco Polo

Agora, para continuar nossa história, teremos que dar um pulinho de alguns milhares de anos e viajar até a China, ou quase, na comitiva de Marco Polo. Em seu diário de viagem, o explorador Veneziano, dá conta de uma linha de bancos de areia e recifes de coral chamada de Ponte de Rama ou Ponte de Adão, ligando o Sri Lanka à Índia. Não satisfeito, completa: “Agora, Está fora de uso mas, pode ser encontrada no trabalho de todos os geógrafos e historiadores orientais que tenham tratado desta parte da Índia”. Este trecho está na tradução, século XIX, do diário das viagens realizadas por Marco Polo entre os anos de 1271 e 1295.


A história não para ai. A Nasa entrou na dança.

Em 1994, durante a missão sts-59 do Edeavour, da Nasa divulgou imagens da área da ponte, onde é possível ver, claramente, uma marca do que poderia ter sido a ponte, com 30km de extensão, ligando a Índia ao Sri Lanka. Vista do alto em um dia claro e sem nuvens parece ser inegável que esta ligação por terra realmente existiu.

Do ponto de vista das religiões da Índia, a ponte foi criada por Rama para recuperar sua esposa que havia sido sequestrada. Recentemente a ponte tornou-se um objeto de adoração e acabou no tribunal com um porta voz do governo Indiano que afirmou categoricamente que a ponte não foi criada pelo homem.

Uma ponte “pré-diluviana”

Parece que os pesquisadores confirmaram que a "Ponte de Adão" é na verdade uma ponte artificial construída há 1.700 milhões de anos atrás. Localizada no Estreito de Palk, no Oceano Índico, há uma área geográfica particular, uma estreita faixa de terra que liga o sul da Índia com o Sri Lanka. Ela é chamada de "Ponte de Adão".

Acredita se ser os restos de uma antiga ponte pré-diluviana. Possivelmente, a primeira ponte já construída na Terra.

Apesar de historiadores, arqueólogos e pesquisadores acreditarem que as primeiras civilizações complexas apareceram na Terra cerca de 5000 anos atrás, hoje, com todas as descobertas que foram feitas, sabemos que a humanidade existiu muito antes do que os estudiosos tradicionais nos dizem. Através do estudo de descobertas como esta, podemos entender a complexidade de nosso passado distante. Esta ponte antiga era declaradamente transitável a pé até o século XV até tempestades aprofundaram o canal: registros do templo parecem dizer que a Ponte de Adão ficava completamente acima do nível do mar, até que quebrou em um ciclone em 1480 AD.

Vários pesquisadores não compartilham os pontos de vista tradicionais da ciência.  Pesquisadores como Robert Bauval e Graham Hancock propuseram que monumentos como os encontrados no platô de Giza são muito mais velhos do que a história está nos dizendo. Portanto, suas teorias são rotuladas como impossíveis e nem sequer são levadas em consideração. Ai está onde a ciência falha miseravelmente. Mas, que há outras dezenas de descobertas incríveis que a ciência tem rotulado como impossível, já que eles não parecem encaixar-se o ponto de vista estritamente seletivo da comunidade científica.

No entanto, existem muitas culturas antigas que falam sobre eventos catastróficos como inundações. Exemplo à civilização; Suméria, grega, chinesa, nativo americana. E muitas outras culturas. O Chimalpopoca descreveram as condições durante o Grande Dilúvio e se relacionam como pessoas tentaram escapar do desastre:

"O céu se aproximou da Terra e no espaço de um dia tudo foi alagado. Os próprios montes foram cobertos com água. ... .Um Enorme furacão destruiu árvores, montes, casas e edifícios maiores, não obstante, que muitos homens e mulheres escaparam, principalmente em cavernas e lugares onde o grande furacão não poderia alcançá-los. "

Acredita-se também que a evidência de um grande dilúvio foi gravado em monumentos ao redor do globo. Os pesquisadores sugerem que locais antigos, como o planalto de Gizé, parece ter impressionado em suas montarias, uma referência cronológica que aponta para uma catástrofe global que ocorreu mais de 13.000 anos atrás.

Dr. Badrinarayanan, o ex-diretor do Serviço Geológico da Índia realizou um levantamento desta estrutura e concluiu que era feita pelo homem. Dr. Badrinarayanan e sua equipe perfurou 10 poços ao longo do alinhamento da Ponte de Adão. O que ele descobriu foi surpreendente. Cerca de 6 metros abaixo da superfície, ele encontrou uma camada consistente de pedra calcária areia e corais como materiais. Sua equipe ficou surpresa quando descobriram uma camada de areia solta, algumas 4-5 metros mais para baixo e depois formações de rocha dura abaixo.

Uma equipe de mergulhadores desceram para examinar fisicamente a ponte. Os pedregulhos que observaram não foram compostos de uma formação marinho típica.  Dr. Badrinarayanan também indica que há evidência de pedreiras antigas nestas áreas. Sua equipe concluiu que os materiais de cada margem, foram colocados sobre o fundo arenoso da água para formar a calçada.

Como a tecnologia tem avançado, a pesquisa tornou-se muito mais fácil para os arqueólogos. Isto permitiu-lhes descobrir um número significativo de estruturas antigas, muitos dos quais não podem ser explicados com a metodologia comumente aceite por pesquisadores principais. É possível que esta recente descoberta seja mais uma evidência de que o diluvio não é um mito?

Nos últimos anos, inúmeras descobertas foram feitas que desafiam história e arqueologia. Algumas destas descobertas foram firmemente rejeitadas por pesquisadores desde que elas não parecem se encaixar na história moderna.

Uma das descobertas mais incríveis nos últimos anos tornou-se possível graças a imagens de alta definição da Terra a partir do espaço, o Google Earth é outra ótima ferramenta nos últimos anos. Segundo alguns pesquisadores, uma das peças mais marcantes de evidências de uma civilização que floresceu antes do cataclismo, 13 mil anos atrás, é representado pelo que é a "Ponte de Adão".

De acordo com a tradição hindu, este "faixa de terra" é uma ponte construída pelo deus hindu Rama, como disse no épico hindu Ramayana. Na verdade, desde os tempos antigos, é conhecida como a "Ponte de Rama" ou "Rama Setu".

O épico indiano Ramayana conta a história da ponte da terra e como ela foi construída para servir ao deus hindu Rama, a fim de ajudá-lo a atravessar a água para alcançar a grande ilha e resgatar sua amada das garras do rei demônio Ravanna. É uma história de amor, atos de coragem e construções incríveis como parece.

Rama é uma das manifestações do deus Supremo e é reconhecida como a imagem, o espírito e a consciência do hinduísmo, uma das religiões mais antigas do mundo.

As histórias que são muitas vezes interpretadas como fatos da vida de Rama, são narrados no Ramayana, uma epopeia antiga em sânscrito, literalmente traduzido para "A viagem de Rama", que fala de um tempo em que os deuses a bordo de navios (Vimanas) e gigantes andaram na terra.

Dr. TS Badrinarayanan, ex-diretor do Serviço Geológico da Índia, realizou uma análise da estrutura e concluiu que é de origem artificial. Sua equipe concluiu que os materiais dos dois bancos foram colocados no fundo de areia para formar uma ponte. Este é aparentemente visível nas imagens fornecidas pela NASA.

A parte mais interessante é que "A ponte de Rama", como tem sido chamada, tem atraído à atenção de empresas de construção e até um prefeito que já identificou o seu potencial incrível. O governo indiano parece ser extremamente interessado também. Alguns acreditam que esta ponte "artificial" precisa ser "renovada" e uma vez que recuperar a sua antiga função, ela pode proporcionar muitos benefícios econômicos e sociais para a região.

Seguindo a linha da ponte algum tipo de canal pode ser construído, facilitando o tráfego marítimo nas águas difíceis relativas da região. A ponte tornaria possível criar estradas e ferrovias e poderia servir como base para um gigantesco centro de marés, aproveitando as forças de maré que gerariam grandes quantidades de eletricidade.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.