-

-

domingo, 9 de agosto de 2015

As revoltas no campo e nas cidades



Jacqueries

As dificuldades do século XIV tornaram evidentes e explosivos os novos conflitos sociais.

Revoltas camponsesas:  Todos os grupos sociais enfrentaram as dificuldades do século XIV, mas o sofrimento dos camponeses, em especial dos servos impulsionou essa camada social à revolta.

A Guerra dos Cem anos (1337-1453): destruiu os campos cultivados e contribuiu para aumentar a fome. Ao mesmo tempo o tributos devidos à Igreja, aos governantes e aos senhores feudais aumentavam ano após ano. A falta de braços na agricultura, em razão da peste negra, encorajou os trabalhadores dos feudos a lutar por melhores condições de vida e liberdade. Várias outras revoltas camponesas explodiram na década de 1350 com destaque para as jacqueries, que ocorreram na França.

As jacqueries: inicialmente as jacqueries eram revoltas espontâneas de camponeses  que contestavam o pagamento de altos tributos. Com o passar do tempo, elas se tornaram manifestações armadas conta o poder da nobreza. Os nobres apelidaram os camponeses de “Jacques Bonhonme”, uma espécie de “João Ninguém” em nossa língua. Daí o nome jacquerie para esss rebeliões. As revoltas ocorreram em 1358 nas regiões francesas da Picardia e da Provença e nas áreas em torno de Paris. Os camponeses rebelados queimaram castelos e assassinaram senhores. A revolta foi reprimida e mais de 20 mil camponses foram mortos.

Revoltas urbanas: Nas cidades europeias dessa época também ocorreram várias revoltas. A cidade de Paris foi sede de uma revolta entre 1356 e 1358. Etienne Marcel, membro da alta burguesia e uma espécie de prefeito, liderou o movimento . Afastado da corte por motivos familiares, Etienne armou o povo para a revolta. O líder tentou ligar a rebelião às jacqueries, mas os dois movimentos foram reprimidos. Na região de Auvergne e Languedoc, no sul da França, camponeses e trabalhadores urbanos formaram bandos armados que ficaram conhecidos como Tuchins. Eles lutavam contra a cobrança de impostos e, em alguns casos, contra grupos mercenários.

A superação do feudalismo: As guerras, as más colheitas, a peste negra e as revoltas do século XIV desestabilizaram o feudalismo. Muitas famílias nobres perderam suas terras e se deslocaram para as cidades ou para as cortes reais. Outras procuravam casar as mulheres da família com ricos burgueses. O clero também perdeu parte de seus poderes, pois, aos poucos, deixava de ser constituído apenas por homens da nobreza. A burguesia foi em geral o grupo mais favorecido. Apesar das dificuldades, muitos burgueses compraram terras dos nobres e  passaram a ocupar cargos administrativos nas cortes. As mudanças também atingiram os camponeses. Depois da peste, das revoltas e do declínio demográfico, muitos adquiriram terras próprias e se livraram da servidão. Outros migraram para as cidades e se tornaram trabalhadores livres. 


COPYRIGHT © 

Copyright © construindohistoriahoje.blogspot.com.br Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.brO link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.

Você quer saber mais? 

Projeto Araribá: História 8ª ano, organizadora Editora Moderna; obra coletiva. Editora responsável: Maria Raquel Apolinário. São Paulo: Moderna, 2010.p.44-47.

(COMUNIDADE CHH NO DIHITT)

(COMUNIDADE DE NOTÍCIAS DIHITT)

(PÁGINA NO TUMBLR)

(REDE SOCIAL VK)

(REDE SOCIAL STUMBLEUPON)

(REDE SOCIAL LINKED IN)

(REDE SOCIAL INSTAGRAM)

(ALBUM WEB PICASA)

(ALBUM NO FLICKR)


(CANAL NO YOUTUBE)

(MINI BLOGUE TWITTER)

(REDE SOCIAL BEHANCE)

(REDE SOCIAL PINTEREST)

(REDE SOCIAL MYSPACE)

(BLOGUE WORDPRESS HISTORIADOR NÃO MARXISTA)

(BLOGUE LIVE JOURNAL LEANDRO CLAUDIR)

(BLOGUE BLOGSPOT CONSTRUINDO PENSAMENTOS HOJE)

 (BLOGUE WORDPRESS O CONSTRUTOR DA HISTÓRIA)

(BLOGUE BLOGSPOT DESCONSTRUINDO O CAPITALISMO) 

 (BLOGUE BLOGSPOT DESCONSTRUINDO O COMUNISMO) 

(BLOGUE BLOGSPOT DESCONSTRUINDO O NAZISMO)

 (BLOGUE WORDPRESS CONSTRUINDO HISTÓRIA HOJE)

 (REDE SOCIAL FACEBOOK CONSTRUINDO HISTÓRIA HOJE)

(REDE SOCIAL GOOGLE + CONSTRUINDO HISTÓRIA HOJE) 

(MARCADOR DICAS DE LEITURA) 

(MARCADOR ARQUEOLOGIA) 

(MARCADOR ÁFRICA)

(MARCADOR ANTIGUIDADE)

(MARCADOR PERSONAGENS DA HISTÓRIA) 

(MARCADOR HISTÓRIA DO BRASIL) 

(MARCADOR FÉ) 

(MARCADOR COMUNISMO) 




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.