-

-

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

A cidade de Paris: da Antiguidade à atualidade.


Do vilarejo galo-romano à cidade do século XXI, Paris viveu profundas mudanças ao longo dos séculos. Capital política, econômica e artística, ela mantém, apesar da ação do tempo e da história, um patrimônio arquitetônico único, que faz dela uma das cidades mais visitadas do mundo e a porta de entrada da França para diversos turistas.

Lutécia, o vilarejo da antigüidade : Os primeiros ocupantes das margens do rio Sena ali se instalaram há cerca de 2.000 anos. No entanto, estavam longe de ocupar todo o território atual da cidade de Paris: o vilarejo em que viviam se limitava à île de la Cité e à margem esquerda do rio, não muito longe do jardim de Luxemburgo.


As grandes mudanças da Idade Média

Os primeiros limites da cidade se impõem por volta do ano de 1200, com a construção de um muro ao seu redor e do castelo do Louvre. Cidade mais populosa da Europa no século XIV, ela viveu em seguida um declínio relativo, posto que os reis passaram a ter mais interesse pelos vilarejos próximos do rio Loire.


França tem uma extensa história na qual estao inseridas personalidades impressionantes da História da Europa. tais como Luís XIV, Napoleao Bonaparte, Clodoveo, Rei dos Francos, Charles de Gaulle entre outros.

A história de Paris remonta-se aos Parisi, um povo gaulês da época pré-romana que lutou contra a ocupação do Império de Júlio César. A cidade foi fundada por volta de 300 Anos Antes de Cristo. Esta primeira colonização realizou-se na Ilha de Cité, rodeada pelo Rio Sena, um lugar ideal sobretudo para a defesa da Cidade.

Posteriormente, os romanos finalmente tomaram a cidade e chamaram-na de Lutetia, e estenderam-na para a outra margem do Rio Sena. Com a caída dos romanos, a cidade toma atualmente o seu nome com o reinado de Clodoveo, o Rei dos Francos, que permaneceriam nesta terra durante séculos. A vitória frente aos romanos teve lugar nos finais do Século V e princípios do Século VI. Paris começou a sua expansão e viveu séculos de tranquilidade e prosperidade até que nos finais do século IX foi atacada pelos normandos.

No século XI foram os Capetos que ficam com o comando e trono de França e o controlo de Paris, sendo que é Filipe Augusto que a converte, no século XII, a capital de França. Passaram por aqui reis como Carlos V, Enrique IV e Luís XIII que construíram, ao longo dos tempos, muralhas e edifícios emblemáticos, chegando depois Luís XIV, já no século XVIII.

Com Luís XIV, Luís XV e Luís XVI começa-se a construir o momento histórico na história francesa, tendo com Luís XVI acontecido um dos marcos mais importantes da história da França, a tomada da Bastilha, acontecimento que derrubou a Monarquia e instaurou a República.

Depois, um golpe de Estado de Napoleão Bonaparte muda o rumo da França, da República para o Império. Durante a época de Napoleão, a cidade de Paris sofrer uma mudança importante, sendo que os edifícios mais antigos foram derrubados para outros mais modernos serem construídos. Durante a segunda metade do Século XIX, a cidade também começou a ser um centro de atenção europeia, com numerosas exposições e eventos artísticos.

Vercingetórix: herói legendário da guerra dos Gauleses.


Vercingetórix (72 a.C. - 46 a.C.), chefe do povo dos Avernos, herói legendário da guerra dos Gauleses, foi, como seu nome em língua celta indica, "o grande rei dos guerreiros". Conseguiu reunir ao redor de si a maior parte dos povos que constituíam a Gália, até lá dividida entre diversos povos rivais, e dirigir durante dez meses a unidade da resistência contra as legiões de César, na  época o maior exército do mundo, submetendo César a uma derrota esmagadora na Gergóvia, antes de ser vencido em Alésia.

Quando César invade a Gália, em 58 a.C., o pai de Vercingetórix, Celtill, que preparava-se para assumir a liderança da Gália contra os romanos, foi assassinado pela aristocracia averna, que desconfiava que ele havia a intenção de tornar-se rei. Depois de sua morte, Vercingetórix serve o exército de César como aliado durante seis anos, antes de juntar-se novamente a seu povo no início da primeira rebelião gaulesa, em Cenabum (Orléans), em 52 a.C., um motim geral que conseguiu liderar.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.