-

-

segunda-feira, 4 de março de 2013

A vida urbana nas cidades romanas: Pompéia.



Vista geral, das muralhas do norte, em direção ao sul e ao Fórum. Imagem: Roma Legado de um império, volume I.

Quando falamos em um grande império, pensamos de igual modo em suas grandes cidades e capitais. E não foi diferente no Império Romano, aonde suas cidades eram de extrema importância provincial para economia, política e localizadas estrategicamente de modo a preencher requisitos militares de segurança e mobilidade. Este é o primeiro de uma sequência de textos sobre as principais cidades romanas. Veremos um pouco de sua origem, história e mitologia. Tenham uma boa leitura amigos Construtores!

Pompéia, originariamente uma cidade etrusca, foi ocupada pelos Samnitas no século V a.C. Depois disso, continuou a ser uma comunidade de língua osca, até que, no ano 80 a.C., Sila ali estabeleceu uma colônia. A seguir à sua destruição pela erupção do Vesúvio em 79 a.C., Pompéia permaneceu sepultada sob uma camada de cinzas e de lava até ao século XVIII.


Natureza-morta com ovos e tordos. As naturezas-mortas foram muito populares no período do Quarto Estilo (c. 55-79 d.C). Imagem: Roma Legado de um império, volume I.

A economia de Pompéia baseava-se sobretudo nos produtos do seu fértil território, em especial o vinho e o azeite, sendo também um próspero centro industrial e comercial, sendo as principais indústrias as da manufatura e acabamento de tecidos. Existem também muitos vestígios de produção artesanal em pequena escala, de comércio retalhista e de outras atividades comerciais.

Como todas as cidades romanas, Pompéia tinha um governo local inspirado no de Roma. A instituição governante era o conselho da cidade (ordo), composto por 80-100 homens (decuriões) procedentes da classe dos proprietários, que ocupavam o cargo por toda a vida. Os magistrados executivos eram dois duoviri (o equivalente aos cônsules romanos) eleitos anualmente, assistidos por edis, que administravam as obras públicas. Encontram-se graffiti que demonstra que as eleições despertavam grande interesse.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.