-

-

sábado, 19 de janeiro de 2013

“Espiões Ingleses produzem carta ligando Integralismo ao Fascismo e Nazismo”


Acima imagem da capa do livro intitulado O Brasil na mira de Hitler, a história do afundamento de 34 navios brasileiros pelos nazistasImagem: História do PRP. Contato: guilhermejorgefigueira@gmail.com.

Exposição do livro com o título O Brasil na mira de Hitler, a história do afundamento de 34 navios brasileiros pelos nazistas”, de autoria do jornalista e publicitário Roberto Sander, publicada pela editora Objetiva, em 2011.

Trata-se de uma excelente obra, com uma narrativa jornalista, que traz detalhadamente as atrocidades praticadas pela Itália e Alemanha nas águas do Oceano Atlântico, através das operações dos seus U-Boats, durante a Segunda Guerra Mundial. Estas ações foram responsáveis pelo torpedeamento de 34 embarcações brasileiras, levando a morte de 1.081 pessoas, em sua maioria civis, acarretando em uma grande comoção nacional e a entrada do Brasil na guerra.

Adentrando em suas 318 páginas os pesquisadores e curiosos sobre Integralismo poderão encontrar algo inusitado, trata-se da citação de uma carta falsa, escrita em italiano, produzida pela inteligência Inglesa, que possuía o objetivo de desacreditar a empresa Linhas Aéreas Transcontinental Italianas – Lati, notoriamente conhecida por ser utilizada como fachada para ações de espiões do Eixo, baseados na antiga capital federal. Nesta carta escrita com termos pejorativos ao povo brasileiro, com a clara intenção de despertar o ódio entre as autoridades policiais, associa claramente o Nazismo e Fascismo com o Integralismo, chamando inclusive os camisas-verdes de amigos.

Infelizmente o livro não traz a imagem fac simile do documento, o conhecimento público desta carta é fundamental, já que durante a existência do Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965), os antigos dirigentes da Acção Integralista Brasileira (1932-1937) – AIB, presentes na legenda, negaram publicamente diversas vezes que o movimento tenha colaborado de alguma forma com os países do Eixo.

Abaixo transcrição (Como consta do Blogue História do PRP de autoria de Guilherme Jorge Figueira) os dois trechos da referida carta (SANDER, Roberto. O Brasil na mira de Hitler, a história do afundamento de navios brasileiros pelos nazistas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011, página 121).

“Não pode haver dúvida de que o gordinho (Vargas) está caindo nas mãos dos americanos, e que somente uma intervenção violente por parte dos nossos amigos (camisas) verdes pode salvar a situação. Nossos colaboradores em Berlim resolveram que tal intervenção deve ocorrer o mais cedo possível.” “E se é verdade – como você corretamente afirmou – que os brasileiros são uma nação de macacos, não é necessário dizer que são macacos dispostos a servir a quem tiver as rédeas nas mão.”

Guilherme Jorge Figueira 

CONSTRUINDO HISTÓRIA HOJE: COPYRIGHT ATRIBUIÇÃO - NÃO COMERCIAL © 

Copyright Atribuição –Não Comercial© construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Não Comercial.  Com sua atribuição, Não Comercial — Este trabalho não pode ser usado  para fins comerciais. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.



Você quer saber mais? 



















LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.