-

-

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Obrigado!



Mais um ciclo termina e um novo começa. Com as graças de Deus foi um ano de muita luta, mas também de muitas vitórias, pois não poderia ser diferente, o caminho mais árduo sempre tende a ser o correto nas veredas da vida, e o caminho fácil cercado de deleites sempre conduz a veredas da morte.

Neste ano fizemos novos amigos, aprendemos, erramos, construímos e desconstruímos para voltar a construir melhor. Desse modo o Construindo História Hoje é construído a cada dia por cada visitante que em números já chegam a mais de meio milhão de visitas. Juntos já atingimos mais de quatrocentos seguidores. Encaramos novos horizontes e aderimos ao FaceBook onde consta mais de duzentos seguidores e no Google + com mais de cento e vinte amigos.

É uma jornada longa, mas que traz seus benefícios a longo prazo. Levar de forma simples, mas concreta o conhecido do grande Universo da História a todos, tornando as pessoas melhores para que possam fazer uma nação melhor pela graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Como todo ano trago um presente de sabedoria aos meus amigos e neste ano não poderia ser diferente. As palavras são poderosas elas podem construir ou destruir, pois então faça a escolha certa e construa. Trago aos amigos as palavras de uma sábia cristã, Madre Teresa de Calcutá que devotou toda sua vida para aqueles que não tinham nada e mostrou que o amor pode ser maior que a riqueza e opulência.

Que essas palavras possam multiplicar-se em nossas almas e que venhamos aprender com a maior riqueza que pode existir. O amor puro e absoluto que se entrega sem reservas em nome de um bem maior.

Fiquem todos com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Leandro Claudir

São Cipriano, O Feiticeiro ( 250 - 304 d.C)



Cipriano, o Feiticeiro e São Cipriano, após a conversão. Imagem: Construindo História Hoje.

Filho de pais pagãos e muito ricos, nasceu em 250 d.C. na Antioquia, região situada entre a Síria e a Arábia, pertencente ao governo da Fenícia. Desde a infância, Cipriano foi induzido aos estudos da feitiçaria e das ciências ocultas como a alquimia, astrologia, adivinhação e as diversas modalidades de magia.

Após muito tempo viajando pelo Egito, Grécia e outros países aperfeiçoando seus conhecimentos, aos trinta anos de idade Cipriano chega à Babilônia a fim de conhecer a cultura ocultista dos Caldeus. Foi nesta época que encontrou a bruxa Évora, onde teve a oportunidade de intensificar seus estudos e aprimorar a técnica da premonição. Évora morreu em avançada idade, mas deixou seus manuscritos para Cipriano, dos quais foram de grande proveito. Assim, o feiticeiro dedicou-se arduamente, e logo se tornou conhecido, respeitado e temido por onde passava.

Dos quatro santos deste nome, o que está efetivamente ligado à tradição popular luso-brasileira é aquele que foi martirizado a 26 de setembro de 304, em Antioquia. Astrólogo, mágico, feiticeiro, conquistou má fama de mulherengo. Converteu-se porém, ao tentar corromper uma donzela de nome Justina, sendo ambos sacrificados. Desde então, começaram a proliferar os ciprianistas, bruxos e feiticeiros, que passaram a praticar a magia de acordo com as normas de deu patrono. Na literatura de cordel, existem dois livros de São Cipriano, bem distintos um do outro: o que ensina magia negra ou branca, além de toda a sorte de feitiçarias; e o que indica mil e um modos de sortilégios amoroso, variando entre o ingênuo, o brutal e o repelente. Há ainda o chamado VERDADEIRO LIVRO DE SÃO CIIPRIANO, publicado pela antiga Livraria Quaresma, do Rio de Janeiro, de que se tiraram no Brasil mais de uma centena de edições. 

O livro certamente nos veio da Europa. Em Portugal encontramos um "Livro de São Cipriano, tirado d'um manuscrito. Feito pelo mesmo Santo, que ensina a desencantar todos os encantos feitos pelos mouros neste Reino de Portugal, e também indicando o lugar onde se encontrão. Mandado publicar por Pereira e Silva. Porto: Typographia de D.Antônio Moldes, Largo da Batalha No 41 - 1849."(Na revista O Archeologo Portugues. Vol.XXIII. Lisboa, Imprensa Nacional, 1918. p.223.)

Livro de São Cipriano é um grimório publicado em diversos países, inclusive no Brasil pela Editora Eco e a antiga Livraria Quaresma, do Rio de Janeiro, que contém diversos rituais de ocultismo, mais especificamente magias (branca e negra), com múltiplas finalidades, inclusive para o quotidiano.

O Livro de São Cipriano hoje é uma verdadeira coleção, todos afirmando que são os verdadeiros livros de São Cipriano, mas, na verdade, São Cipriano só escreveu um: Livro de São Cipriano de Capa Preta. 

A lenda de São Cipriano, o feiticeiro, confunde-se com São Cipriano de Cartago, santificado pela Igreja Católica, conhecido como o Papa Africano. Apesar do abismo histórico que os afasta, as lendas combinam-se e os Ciprianos, muitas vezes, tornam-se um só na cultura popular. É comum encontrarmos fatos e características pessoais atribuídas equivocadamente. Além dos mesmos nomes, os mártires coexistiram, mas em regiões distintas.

Cipriano, o feiticeiro, é celebrado no dia 2 de outubro. Foi um homem que dedicou boa parte de sua vida ao estudo das ciências ocultas. Após deparar-se com a jovem Justina, converteu-se ao cristianismo. Martirizado e canonizado, sua popularidade cresceu devido ao famoso Livro de São Cipriano, um compilado de rituais de magia.

A conversão

Vivia em Antioquia a bela e rica donzela Justina. Seu pai Edeso e sua mãe Cledonia, a educaram nas tradições pagãs. Porém, ouvindo as pregações do diácono Prailo, Justina converteu-se ao cristianismo, dedicando sua vida as orações, consagrando e preservando sua virgindade.

 São Cipriano e Justina. Imagem: Religiosidade Popular.

Um jovem rico chamado Aglaide apaixonou-se por Justina. Os pais da donzela (também convertidos à fé Cristã) concederam-na por esposa. Porém, Justina não aceitou casar-se. Aglaide recorreu a Cipriano para que o feiticeiro aplicasse seu poder, de modo que a donzela abandonasse a fé e se entregasse ao matrimônio.

Cipriano investiu a tentação demoníaca sobre Justina. Fez uso de um pó que despertaria a luxúria, ofereceu sacrifícios e empregou diversas obras malignas. Mas não obteve resultado, pois Justina defendia-se com orações e o Sinal da Cruz.

A ineficácia dos feitiços fez com que Cipriano se desiludisse profundamente perante sua fé e se voltasse contra o demônio. Influenciado por um amigo cristão de nome Eusébio, o bruxo converteu-se ao cristianismo, chegando a queimar seus manuscritos de feitiçaria e distribuir seus bens entre os pobres.


O famoso Livro de São Cipriano foi redigido antes de sua conversão. Uma parte dos manuscritos foi queimada por ele mesmo. A questão é que não se sabe quando, e por quem os registros foram reunidos e traduzidos do hebraico para o latim, e posteriormente levados para diversas partes do mundo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.