-

-

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Julgamento da História. Alessandro Pavolini, herói ou vilão?



Alessandro Pavolini, em 1938. Imagem: Metapedia.

Alessandro Pavolini (27 Setembro 1903, 28 Abril 1945) foi um político italiano, jornalista e ensaísta, conhecido principalmente pela sua relação com o regime Fascista durante a Segunda Guerra Mundial.  Nascido em Florença, Pavolini era filho de Paolo Emilio Pavolini, grande especialista em Sanscrito e outras línguas indo-europeias. Estudante brilhante, formou-se ao mesmo tempo em Direito pela Universidade de Florença e em Ciências Políticas na Univerisade de Roma La Sapienza, viajando constantemente entre as duas cidades.

Depois de se juntar ao movimento de Benito Mussolini em Florença, tomou parte em diversas ações dos Camisas-Negras, dirigindo uma esquadra durante a Marcha sobre Roma de 1922, o momento em que o Fascismo tomou o poder em Itália. A Pavolini foram confiadas tarefas no Campo Cultural, incluindo programas para a juventude lançados pelos fascistas, enquanto contribuia para várias públicações fascistas como Battaglie fasciste, Rivoluzione fascista e Critica fascista. 

 Pavolini aos 21 anos. Imagem: Isses.

Graças à sua amizade com o líder fascista de Florença, Luigi Ridolfi, iniciou uma carreira política como deputado de Ridolfi em 1927. De 1929 a 1934 foi líder local do Partido Nacional Fascista (PNF) em Florença, assim como editor da publicação fascista Bargello, para onde convidou vários intelectuais a contribuir.

Pavolini pretendia que o Fascismo fosse um regime cultural e aristocrático, tendo por isso iniciado uma série de eventos culturais que sobreviveram à queda do regime e à sua morte, incluindo a representação anual do tradicional Calcio Fiorentino (uma espécie de futebol da era renascentista), o Maggio Musicale Fiorentino e a Feira de Artesanato de Ponte Vecchio. Entre 1934 e 1942 foi colaborador regular

Julgamento da História. Georgios Papadopoulos, herói ou vilão?



Coronel Georgios Papadopoulos em discurso ao povo grego. Imagem: RWF.

O coronel Georgios Papadopoulos, foi o chefe militar do golpe de Estado ocorreu na Grécia em 21 de Abril de 1967 e líder do governo militar que governou o país de 1967 a 1974. Papadopoulos era um coronel de Artilharia . Durante a Segunda Guerra Mundial, inicialmente lutou contra a invasão italiana em 1940 ele tornou-se foi forçado a colaborar com os nazista nos Batalhões de Segurança em troca de parcial independência da Grécia, e nos anos do pós-guerra, ele recebeu treinamento da inteligência nos Estados Unidos e se tornou um agente da CIA. Ele deteve o poder ditatorial na Grécia de 1967-1973, até que ele próprio foi derrubado por seu co-conspirador Ioannidis Dimitrios . Papadopoulos foi o foi o primeiro agente da CIA a governar um país europeu.

Papadopoulos nasceu em Elaiohori em 5 de maio de 1919 , numa pequena aldeia da provincia de Acaia no Peloponeso, filho de um professor, Christos Papadopoulos e sua esposa Chrysoula. Ele era o filho mais velho e tinha dois irmãos, Konstantinos e Haralambos. Ao terminar o Ensino Médio em 1937, ele se matriculou na Evelpidon Scholi. Ele completou o seu ciclo de três anos, em 1940. Papadopoulos, participou de um curso de engenharia civil na Escola Polytechneion mas não chegou a se formar.

Durante a Segunda Guerra Mundial . Papadopoulos participou da ação de campo como segundo tenente da artilharia contra os italianos e as forças da Alemanha nazista , que atacaram a Grécia em 6 de abril de 1941. Durante a subsequente ocupação da Grécia pela Alemanha nazista , Itália e Bulgária, Papadopoulos trabalhou para o "Oficia de Abastecimento em Patras” do governo grego.

O "Escritório Abastecimento em Patras" foi criado sob o comando do coronel Kourkoulakos, um oficial que era responsável pela formação dos " Batalhões de Segurança ", em Patras. Esses batalhões foram forçados sob coerção a colaborar com as unidades militares, criadas pelo governo fantoche da Grécia de Ioannis Rallis em 1943, a fim de apoiar as tropas alemãs de ocupação. Eles foram apoiados por alguns políticos centristas que estavam preocupados com o domínio da ELAS (o braço militar do comunista dominado Nacional Frente de Libertação da EAM) como o corpo principal da resistência grega. Entre os membros dos Batalhões de Segurança haviam  ex-militares e oficiais, soldados recrutados violentamente, fanáticos e párias sociais, bem como oportunistas comuns que acreditavam que o Eixo iria ganhar a guerra.

No início de 1944, Papadopoulos deixou a Grécia com a ajuda de agentes de inteligência britânica e foi para o Egito, onde o governo grego no exílio foi baseado, recebeu a patente de tenente. Junto com outros de oficiais da direita e militares, ele participou da criação e da organização nacionalista de extrema-direita IDEA, no outono de 1944, logo após a libertação do país. Esses oficiais 1940 que foram para o Egito com o rei imediatamente após a invasão alemã tinham atingido o posto de general, quando seus colegas ainda-coronel assumiu o golpe de Estado de 1967.

A Phoenix e a silhueta do soldado que carrega um rifle eram o emblema da Junta.

Em 1946, ele recebeu a patente de capitão e, em 1949, durante a guerra civil grega , ele subiu para o posto de Major. Ele serviu no KYP Serviço de Inteligência 1959-1964 como o principal contato entre o KYP e o topo CIA que operava na

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.