-

-

domingo, 19 de agosto de 2012

Conceito de motivação

  Motivação e Sucesso. Imagem: Rede Vida.

Gostaria de apresentar uma definição de motivação focada na organização, que de uma maneira muito simples, porém bem clara, exprime este conceito.

“ É o processo pelo qual se induz o liderado a proceder de certa forma ou a compartar de acordo com o determinado padrão de conduta, ou seja, é o meio pelo qual o líder cria e mantém em sua equipe ou em seus liderados, o desejo de alcançar os objetivos planejados, procurando a satisfação pessoal de cada um.”
.
Ao analisarmos essa definição percebemos que alguns aspectos se destacam explícita ou implicitamente. Eles são:

• Esforço, energia gerada pelo indivíduo, que deve ser encaminhado para a obtenção de um bom rendimento de trabalho.

• Necessidades (carências), que alteram o equilíbrio das condições físicas e/ou psíquicas das pessoas.

• Desejos (impulsos intencionais), gerados pelas necessidades.

• Objetivos, para os quais estão dirigidos os impulsos para satisfazer as necessidades.

Em algumas ocasiões, confundem-se os termos motivação e satisfação. Por isso explicamos:

A motivação é o impulso e o esforço para satisfazer um desejo ou um objetivo. Já a satisfação é o prazer experimentado quando conseguimos satisfazer o desejo. Daí que a motivação seja anterior ao resultado e a satisfação posterior ao resultado. A motivação originada pode estar dirigida para o aumento do trabalho ou para a sua diminuição, dependendo dos fatores que estiverem imperando. Vejamos alguns deles.

Podem inspirar para o primeiro caso:

• O desejo de ser promovido.

• O propósito de realizar um bom trabalho.

• Desejos econômicos ou outros.

• O desejo de aprender.

• O medo de perder o emprego.

• O convencimento de que seu trabalho vale à pena.

Entre os elementos negativos aparecem os seguintes:

* Salários,

• Problemas de relações com os subordinados.

• Dificuldades ou complicações com o serviço.

• Inércia para não trabalhar

Estes aspectos não são os únicos que influenciam a motivação. Não obstante isso, o xis do assunto consiste em elevar os aspectos que originam o efeito positivo e eliminar ou diminuir ao mínimo aqueles que potencializam o efeito negativo ou, de outra maneira, fazer compatíveis os objetivos da organização com as necessidades pessoais.

 A motivação designa um conjunto de forças internas/impulsos que orientam o comportamento de um indivíduo para determinado objetivo. (A motivação é um conjunto de forças internas que mobilizam e orientam a ação de um organismo em direção a determinados objetivos como resposta a um estado de necessidade, carência ou desequilíbrio.)

Entendemos por motivação toda força ou impulso interior que inicia, mantém e dirige a conduta de uma pessoa visando alcançar um objetivo determinado. No ambiente profissional, “estar motivado” supõe estar estimulado e suficientemente interessado como para orientar as atividades e a conduta para o cumprimento dos objetivos estabelecidos com antecedência.
Embora nos concentremos na equipe comercial, isso tudo pode ser também aplicado a qualquer outro departamento. A pró-atividade é uma das principais variáveis positivas do século XXI.

Considerações:

- A motivação de um ser humano é dinâmica e varia a cada instante em função de suas necessidades;
- Podemos afirmar  que enquanto as necessidades fisiológicas, não estiverem totalmente atendidas os indivíduos não conseguem atender as demais, ou seja, com sede, fome, ou sono ele poderá não pensar em mais nada;
- As necessidades de reconhecimento e auto-realização serão buscadas diariamente;
- Os motivadores materiais, como dinheiro ou prêmios, atuam no campo fisiológico ou da segurança e são de curta duração;
- A elevação da auto-estima, desenvolvimento da empatia e da afetividade atua no campo de segurança psicológica e do reconhecimento;
- A auto realização não é atingido por motivadores, pois, situa-se valor interno de cada individuo.
- Assim poderemos entender que no ambiente do trabalho o papel do líder é importantíssimo, pois, estimulando os liderados, a conquistar os objetivos, gera satisfação pessoal, reconhecimento, proporcionando maior aceitação do individuo em ser útil.

TEORIAS DA MOTIVAÇÃO

Maslow e a hierarquia das necessidades:

Segundo Maslow, as necessidades humanas estão organizadas numa hierarquia, isto é, não têm todas a mesma importância. Maslow apresenta a sua teoria através de uma pirâmide em que, na base, estão as necessidades fisiológicas, e, no cume, as necessidades de auto-realização.

As necessidades humanas começam pelas

Teorias sobre estilo de lideranças.

Autocracia? Democracia? Imagem: The Wave Home.
 
São teorias que estudam a liderança em termos de estilos de comportamento do líder em relação aos seus subordinados. Enquanto a abordagem dos traços se refere àquilo que o líder é, a abordagem dos estilos de liderança se refere àquilo que o líder faz, isto é, o seu comportamento para liderar.
A teoria mais conhecida refere-se a três estilos de liderança: autocrático, liberal e democrático.
White e Lippitt fizeram uma pesquisa para analisar o impacto provocado por três diferentes estilos de liderança em meninos orientados para a execução de tarefas. Os meninos foram divididos em quatro grupos, e a cada seis semanas a direção de cada grupo era desenvolvida por líderes que utilizavam três estilos diferentes: a liderança autocrática, a liberal (laissez-faire) e a liderança democrática.
Liderança autocrática: O líder centraliza as decisões e impõe ordens ao grupo. O comportamento dos grupos mostrou forte tensão, frustração e agressividade, de um lado, e, de outro, nenhuma espontaneidade, iniciativa ou formação de grupos da amizade. Embora gostassem das tarefas, não demonstraram satisfação com relação à situação. O trabalho somente se desenvolvia com a presença física do líder. Quando este se ausentava, as atividades paravam e os grupos expandiam seus sentimentos reprimidos, chegando a explosões de indisciplina e agressividade. 
Liderança liberal: O líder delega totalmente as decisões ao grupo e deixa-o completamente à vontade e sem controle algum. Embora a atividade do grupo fosse intensa, a produção foi medíocre. As tarefas se desenvolviam ao acaso , com muita oscilações, perdendo-se tempo com discussões por motivos pessoais e não relacionados ao trabalho. Notou-se forte individualismo agressivo e pouco respeito ao líder.
Liderança democrática: O líder conduz e orienta o grupo e incentiva a participação democrática das pessoas. Houve formação de grupos de amizade e relacionamento cordiais entre os membros. Líder e subordinados desenvolveram comunicação espontâneas, francas e cordiais. O trabalho mostrou um ritmo suave e seguro, sem alterações, mesmo quando o líder se ausentava.Houve um nítido sentido de responsabilidade e comprometimento pessoal além de uma impressionante integração grupal dentro de um clima de satisfação.

Os grupos submetidos à liderança autocrática apresentaram maior quantidade de trabalho produzido. Sob a liderança liberal não se saíram bem quanto à quantidade e a qualidade. Com a liderança democrática, os grupos apresentaram um nível quantitativo de produção equivalente à liderança autocrática, com uma qualidade de trabalho surpreendentemente superior.
Na prática, o líder utiliza os três estilos de liderança de acordo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.