-

-

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Curiosity, o explorador mais avançado da NASA; 06 de agosto de 2012 •


Primeiras imagens do solo Marciano feitas pela sonda Curiosity. Imagem: Reuters.

Maior e mais sofisticado veículo de exploração já enviado a outro planeta, o jipe-robô Curiosity (Curiosidade, em inglês), da Nasa, pousou com sucesso em Marte, às 2h31 (horário de Brasília), desta segunda-feira (6). Após uma viagem de 567 milhões de quilômetros, é o explorador móvel mais complexo enviado pela Agência Espacial Americana (Nasa) ao espaço.

Enquanto as pesquisas realizadas anteriormente em Marte com as naves Viking I e II e os robôs Spirit e Opportunity se concentraram na busca por água, o objetivo da Curiosity é buscar sinais de vida durante os próximos dois anos.

Para isso, o robô está equipado com o Laboratório Científico Marciano (MSL, na sigla em inglês), composto por uma dezena de instrumentos de análise para examinar o solo, as rochas e a atmosfera do planeta, que inclui um laser para pulverizar fragmentos de rochas que possam atrapalhar suas tarefas e um aparelho projetado para detectar compostos orgânicos.
O Curiosity foi acoplado em um robô Rover com seis rodas que mede dois metros de altura, 2,7 metros de largura e três metros de comprimento, e pesa quase uma tonelada, cinco vezes mais que seus antecessores Spirit e Opportunity.

 Primeiras imagens do solo Marciano feitas pela Curiosity. Imagem: Reuters.

Seu nome foi sugerido em 2009 por uma estudante do Kansas, Clara Ma, em um concurso realizado pela Nasa no qual recolheu as propostas de mais de nove mil crianças de todo o país.

A aproximação final do Curiosity ao Planeta Vermelho, conhecida como os "sete minutos de terror",

Curiosity: a mais completa sonda a explorar Marte.


 Sonda Curiosity, representação artistica. Imagem: Nasa.

# A Curiosity

Dimensões: 3 m de comprimento, 2,8 m de largura e 2,1 de altura (o braço tem 2,1 m e as rodas 0,5 m de diâmetro).

Peso: quase 4 t no lançamento, sendo 899 kg do robô, 2.401 do sistema de descida no planeta e 539 kg do estágio de foguete.

Fonte de energia: gerador radioisótopo termoelétrico e baterias de lítio-íon.

Foto: Nasa/Divulgação

Engenheiros James Wong e Errin Dalshaug examinam modelo do robô Curiosity no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, em Pasadena, na Califórnia. Imagem: Nasa.

A sonda Curiosity será não apenas a mais moderna, mas também a mais bem equipada a já chegar a Marte. São 10 instrumentos científicos que deixam o robô 10 vezes mais pesado e com o dobro do comprimento que as sondas Spirit e Opportunity, lançadas em 2003. Ao contrário das irmãs mais velhas, a Curiosity é capaz de colher (após pulverizar, triturar e/ou "explodir" com um laser) amostras de solo e rocha e analisá-las em um "laboratório" interno - ou com suas muitas câmeras e espectrômetros (equipamento que analisa o espectro eletromagnético).

 Concepção artistica da Sonda Curiosity. Imagem: Nasa.

Segundo o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, na sigla em inglês), da Nasa, o robô é capaz de passar por obstáculos de até 65 cm de altura e percorrer até 200 m por dia no terreno marciano. Um gerador radioativo, alimentado por plutônio-238, vai produzir energia suficiente para um ano marciano (687 dias da Terra), tempo previsto para a missão.
E qual é o objetivo da Curiosity? Bem, o local onde a sonda vai pousar não foi escolhido ao acaso. A cratera Gale seria um dos locais potencias para a existência de vida em Marte. Contudo, a sonda não foi projetada para determinar se existe - ou existiu - vida no planeta, já que não carrega instrumentos para registrar processos biológicos nem registrar imagens microscópicas. A ideia é preparar o terreno para futuras missões

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.