-

-

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Escritor Philip Kindred Dick, o mestre da ficção cientifica.


Escritor Philip K. Dick. Imagem: http://www.philipkdick.com/.

Philip Kindred Dick nasceu nos Estados Unidos em 1928. Embora não tenha tido o justo reconhecimento em vida, a excelência de sua obra tornou Philip K. Dick é uma referência da ficção científica do século XX. Vários de seus trabalhos tornaram-se mundialmente conhecidos ao serem roterizados e transformados em grandes sucessos do cinema, como Blade Runner: o caçador de androides, O Vingador do Futuro, Minority Report: a nova lei e O Pagamento.

É autor de cinco coletâneas de contos e 36 romances, dentre eles O Homem do Castelo Alto , VALIS, Ubik e Os Três Estigmas de Palmer Eldritch. Morreu em 1982, aos 53 anos.
Ele também era conhecido pelas iniciais PKD, foi um escritor de ficção científica que alterou profundamente este gênero literário. Apesar de ter tido pouco reconhecimento em vida, à adaptação de várias das suas novelas ao cinema acabou por tornar a sua obra conhecida de um vasto público, sendo aclamado tanto pelo público como pela crítica.

Filho de um funcionário do governo federal, a sua irmã gêmea morreu quase à nascença. Os seus pais divorciaram-se quando Philip contava quatro anos de idade. Acompanhou a mãe na sua mudança para a Califórnia, onde estudou, ingressando na Escola Secundária de Berkeley, onde permaneceu até 1945. Matriculou-se então na Universidade da Califórnia, onde estudou Filosofia e Alemão, abandonando o curso para trabalhar como disc-jockey numa emissora de rádio, mantendo, ao mesmo tempo, uma loja discográfica.

Começou a escrever nesta época, publicando o seu primeiro conto de ficção científica na revista Planet Stories. Chegou a terminar alguns romances de índole autobiográfica, mas não conseguiu encontrar quem os editasse. Decidiu portanto dedicar-se inteiramente à ficção científica, convicto de que este gênero poderia melhor abarcar as suas especulações filosóficas.

Solar Lottery, primeira obra publicada por Philip K. Dick em 1955. Image:  http://www.philipkdick.com/. 

A sua primeira obra publicada foi Solar Lottery de 1955. A ação da obra decorria no século XXIII, num tempo em que a democracia como forma de eleição foi substituída por um sistema de loteria que decide as funções dos indivíduos na sociedade. No entanto, vem-se a descobrir que a sorte está viciada. Após o aparecimento de obras como Eye In The Sky de 1956, Dr Futurity de 1960 e Vulcan's Hammer de 1960, Philip K. Dick conseguiu ser reconhecido como escritor, sobretudo com a publicação de The Man In The High Castle (O Homem do Castelo Alto) de 1962. O romance recriava um mundo em que a Alemanha e o Japão haviam vencido a Segunda Guerra Mundial.

Vulcan's Hammer de 1960obra publicada por Philip K. Dick em 1955. Imagem: http://www.philipkdick.com/.

A visão quase paranóica da realidade que Dick demonstrou em muitos dos seus trabalhos não seria portanto de todo infundada. Inspirando-se em ideias do Budismo, Cabalismo, Gnosticismo e outras doutrinas herméticas, e combinando-as com certos aspectos das novas crenças na parapsicologia, extraterrestres e percepção extra-sensorial, o autor criou mundos alternativos nos quais acabou eventualmente por julgar viver. O autor acreditava ter sido contatado, em março de 1974, por uma "mente racional transcendental", o que ele julgava ser uma teofania. Detalhes sobre este evento são detalhados no romance Valis, publicado em 1978.

Philip K. Dick em meados dos anos de 1970. Imagem:http://www.philipkdick.com/.

PKD explorou em muitas das suas obras temas como a realidade e a humanidade, utilizando normalmente como personagens pessoas comuns e não os normais heróis galácticos de outras obras do gênero. Precursor do gênero cyber punk, o seu livro Do Androids Dream of Electric Sheep? Inspirou o filme Blade Runner que, já perto da sua morte por um AVC (Acidente Vascular Cerebral), serviu como introdução a Hollywood e levou a que outras obras suas fossem adaptadas ao cinema.

O Romance de Ficção Androids Dream of Electric Sheep? De Philip K. Dick,  Inspirou o filme Blade Runner. Imagem:http://www.philipkdick.com/.

Os filmes Minority Report / BR: Minority Report: A Nova Lei (com Tom Cruise), Total Recall / O Vingador do Futuro (com Arnold Schwarzenegger), Screamers / BR: Assassinos Cibernéticos com Peter Weller, O Pagamento / Pago para Esquecer (com Ben Affleck), Impostor,Next / Next - Sem Alternativa / O Vidente (com Nicolas Cage), A Scanner Darkly, (com Keanu Reeves) The Adjustment Bureau / BR: Os Agentes do Destino (com Matt_Damon) também são baseados em novelas ou contos de Dick.

Philip K. Dick conseguiu ser reconhecido como escritor, sobretudo com a publicação de The Man In The High Castle (O Homem do Castelo Alto) de 1962. Imagem:http://www.philipkdick.com/.

Bibliografia:

A data que surge antes do título é a data provável de composição, a que surge entre parêntesis a da primeira edição original.

Três capas distintas do livro O Homem do Castelo Alto de 1966. Imagem: http://www.philipkdick.com/.

Romances:

1950
Gather Yourselves Together (1994)

1952
Voices From the Street (prevista edição em 2006) (BR: Vozes da Rua)

1953
Vulcan's Hammer (1960, em versão reescrita) (PT: A Máquina de Governar)
Dr. Futurity (1960, em versão revista)
The Cosmic Puppets (1957, com pequenas revisões) (PT: Marionetas Cósmicas)

1954
Solar Lottery (1955, com pequenas revisões) (PT: Lotaria Solar)
Mary and the Giant (1987, com pequenas revisões)
The World Jones Made (1956) (PT: Passageiros para Vênus)

1955
Eye in the Sky (1957) (PT: Os Olhos no Céu, Universos Paralelos e Conflito dos mundos)
The Man Who Japed (1956) (PT: O Profanador)

1956
A Time for George Stavros (manuscrito perdido)
Pilgrim on the Hill (manuscrito perdido)
The Broken Bubble (1988)

1957
Puttering About in a Small Land (1985)

1958
Nicholas and the Higs (manuscrito perdido)
Time out of Joint (1959) (PT: O Homem mais Importante do Mundo)
In Milton Lumky Territory (1985)

1959
Confessions of a Crap Artist (1975)

1960
The Man Whose Teeth Were All Exactly Alike (1982)
Humpty Dumpty in Oakland (1986)

1961
The Man in the High Castle (1962, prémio Hugo) (PT/BR: O Homem do Castelo Alto)

1962
We Can Build You (1972)
Martian Time-Slip (1964)

1963
Dr. Bloodmoney, or How We Got Along After the Bomb (1965) (PT: Depois da Bomba e Os sobreviventes)
The Game-Players of Titan (1963) (PT: Os Jogadores de Titã)
The Simulacra (1964) (PT: O Tempo dos Simulacros)
The Crack in Space (1966, em versão revista) (PT: A Fenda no Espaço)
Now Wait for Last Year (1966) (PT: À Espera do Ano Passado)

1964
Clans of the Alphane Moon (1964) (PT: Os Clãs da Lua de Alfa)
The Three Stigmata of Palmer Eldritch (1965) (PT/BR: Os Três Estigmas de Palmer Eldritch)
The Zap Gun (1967) (PT: A Arma Impossível e A revolução dos brinquedos, BR: A Arma Impossível)
The Penultimate Truth (1964) (PT: A Penúltima Verdade)
Deus Irae com Roger Zelazny (1976, com alterações substanciais) (PT: O Deus da Fúria)
The Unteleported Man (1966 / 1983, em versão estendida / 1984, em versão reescrita e publicado como Lies, Inc.) (PT: Espaço eletrônico)

1965
The Ganymede Takeover com Ray Nelson (1967, com pequenas revisões)
Counter-Clock World (1967) (PT: Regresso ao passado)

1966
Do Androids Dream of Electric Sheep? (1968) (PT: Perigo Iminente, BR: Andróides Sonham Com Carneiros Elétricos?, mais tarde reeditado com o título Blade Runner: O Caçador de Andróides e posteriormente O Caçador de Andróides)
Nick and the Glimmung (livro para crianças) (1988)
Ubik (1969) (PT/BR: Ubik)

1968
Galactic Pot-Healer (1969)
A Maze of Death (1970) (BR: O Labirinto da Morte)

1969
Our Friends from Frolix 8 (1970)

1970
Flow My Tears, The Policeman Said (1974, com pequenas revisões) (PT: Vazio Infinito e Identidade Perdida, BR: Identidade Perdida - O Homem que Virou Ninguém)

1973
A Scanner Darkly (1977, com pequenas revisões) (PT/BR: O Homem Duplo)

1976
Radio Free Albemuth (1985)

1978
VALIS (1981) (PT: O Mistério de VALIS, BR: VALIS)

1980
The Divine Invasion (1981) (PT: A Invasão Divina)

1981
The Transmigration of Timothy Archer (1982) (PT: A Transmigração de Timothy Archer)

Contos:

Philip K. Dick escreveu cerca de 130 contos, alguns dos quais republicados em colectâneas. Na língua portuguesa estão publicadas as seguintes:

The Preserving Machine (PT/BR: ‘A Máquina Preservadora’).

War Game (PT: ‘O Jogo de Guerra’, BR: ‘Jogo de Guerra’).
If There was no Benny Cemoli (PT: ‘E se Benny Cemoli não Existisse?’).

Roog (PT: ‘Roog’).

War Veteran (PT: Veterano de Guerra).

Stand By (PT: O Melhor Lugar de Reserva).

Beyond lies the Wub (PT: E lá ao Fundo vivem os Wubs).

We can Remember it for You Wholesale (PT: Recordações por Atacado, BR: Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável).

Captive Market (PT: Mercado Cativo).

Upon the Dull Earth (PT: Esta Triste Terra).

Retreat Syndrome (PT: O Síndroma da Fuga).

The Crawlers (PT: Os Rastejadores).

Oh, to be a Blobel! (PT: Oh, é tão Bom ser um Blobel!, BR: Ah, Ser um Bolho!).

What the Dead Men say (PT: O que os Mortos têm para nos Dizer, BR: O que Dizem os Mortos).

Pay the Printer (PT: Paguem ao Impressor).

Paycheck (PT: O Pagamento) (PT: Nanny).

Jon's World (PT: O Mundo de Jon).

Breakfast at Twilight (PT: Pequeno-almoço ao Sol-posto).

Small Town (PT: A Nova Maqueta).

The Father-Thing (PT: O Pai Postiço).

The Chromium Fence (PT: Intolerância).

Autofac (PT: A Rede Autofab).

The Days of Perky Pat (PT: Jogar para Reviver o Passado).

Stand By (PT: O Suplente).

A Little Something for us, Tempunauts (PT: Uma Condecoração Especial, por Cansaço).

We can Remember it for You Wholesale.

The Alien Mind (BR: A Mente Alienígena).
Return Match (BR: Revanche).

Not By Its Cover (BR: Não Julgue pela Capa).

The Electric Ant (PT: A Formiga Electrica», BR: A Formiga Elétrica).

The Little Black Box (BR: A Pequena Caixa Preta).

Strange Memories of Death (BR: Estranhas Memórias da Morte).

The Eye of the Sybil (BR: O Olho da Sibila).

Adaptações ao cinema:

Blade Runner (PT: Blade Runner: Perigo Iminente, BR: Blade Runner: O Caçador de Andróides) (Ridley Scott, 1982), baseado na novela Do Androids Dream of Electric Sheep?

Total Recall (PT: Total Recall, BR: O Vingador do Futuro) (Paul Verhoeven, 1990), baseado no conto We Can Remember It for You Wholesale (PT: Recordações por Atacado, BR: Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável)

Confessions d'un Barjo (BR: Confissões de um Louco) (Jérôme Boivin, 1992), baseado na novela Confessions of a Crap Artist

Screamers (BR: Screamers: Assassinos Cibernéticos) (Christian Duguay, 1995), baseado no conto Second Variety.

Impostor (BR: O Impostor) (Gary Fleder, 2002), baseado no conto Impostor.

Minority Report (PT: Relatório Minoritário, BR: Minority Report: A Nova Lei) (Steven Spielberg, 2002), baseado no conto The Minority Report.

Paycheck (PT: Pago para Esquecer, BR: O Pagamento) (John Woo, 2003), baseado na história Paycheck.

A Scanner Darkly (BR: O Homem Duplo) (Richard Linklater, 2006), baseado na novela A Scanner Darkly.

Next (BR: O Vidente) (Lee Tamahori, 2007), baseado no conto The Golden Man.

The Adjustment Bureau (BR: Agentes do Destino) (George Nolfi, 2011), baseado no conto The Adjustment Team.


COPYRIGHT ATRIBUIÇÃO - NÃO COMERCIAL © 

Copyright Atribuição –Não Comercial© construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Não Comercial.  Com sua atribuição, Não Comercial — Este trabalho não pode ser usado  para fins comerciais. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.



Você quer saber mais? 
























LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.