-

-

domingo, 16 de setembro de 2012

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS - MSF.




Símbolo dos Médicos Sem Fronteiras -  MSF. Imagem: msf.org.br.

Aos leitores do Blogue Construindo História Hoje, tenho o imenso orgulho de poder agradecer aos meus visitantes e amigos, que juntos fazem desse trabalho um pequeno Oásis de conhecimento. Um local feito por quem têm sede de conhecimento para pessoas com sede de conhecimento. Conhecimento. Uma palavra que em si carrega uma vasta gama de construções intelectuais que fazem aos que a buscam caçadores incansáveis de suas virtudes. 

Estarei trabalhando cada dia para tornar o Construindo História Hoje, um local melhor e mais amplo para o encontro do conhecimento como ferramenta para o dia-a-dia ou para pesquisas mais amplas. 

No momento estou lendo; O Egito antes dos Faraós de Edward F. Malkowski, O Festim dos Corvos de George R.R, Psicologia da Revolução de Plínio Salgado e Isto é o Meu Corpo de Hermann Sasse. Estou sempre nessa busca incansável pelo saber e com toda certeza estarei compartilhando com vocês tudo que aprender com meus estudos, pois este é o humilde objetivo desse Blogue.

Hoje trarei a vocês um texto sobre os Médicos Sem Fronteiras. Uma organização não governamental que busca prestar auxilio a nações pobres e em situações de desastre. Boa Leitura a todos.

Atenciosamente,

Leandro Claudir

 Locais no globo que recebem atendimento dos Médicos Sem Fronteiras. Imagem: msf.org.br.

 MÉDICOS SEM FRONTEIRAS - MSF
Quem somos?

Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária internacional, independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam. Também é missão de MSF tornar públicas as situações enfrentadas pelas populações atendidas. 

São cerca de 28 mil profissionais de diferentes áreas, espalhados por mais de 60 países, atuando diariamente em situações de desastres naturais, fome, conflitos, epidemias e combate a doenças negligenciadas. 

A organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas, que atuaram como voluntários no fim dos anos 60 em Biafra, na Nigéria. Enquanto a equipe médica socorria vítimas em uma brutal guerra civil, o grupo percebeu as limitações da ajuda humanitária internacional: a dificuldade de acesso ao local e os entraves burocráticos e políticos faziam com que muitos se calassem frente aos fatos testemunhados. 

 Médica voluntária antendendo crianças no Sudão do Sul. Uma imagem diz mais que mil palavras. Imagem: msf.org.br.

MSF surge, então, como uma organização médico-humanitária que associa socorro médico e testemunho em favor das populações em risco. 

A organização é uma iniciativa independente de governos e sustentada, em grande parte, por
contribuições privadas, o que lhe confere agilidade e liberdade para oferecer ajuda humanitária onde for necessário.

O que fazem?

Oferecer cuidados de saúde em situações de crise é a base do trabalho de Médicos Sem Fronteiras. Conflitos, epidemias, catástrofes naturais, desnutrição e exclusão do acesso à saúde são os principais eixos de atuação de MSF. Tais situações pedem ajuda rápida, com atendimento médico especializado e apoio logístico. 

Além de oferecer atendimento em situações de extrema urgência, MSF também se faz presente em locais onde o sistema de saúde não funciona, ou não existe. A organização oferece cuidados de saúde básica e de prevenção em campos de refugiados, áreas de grande instabilidade ou extremamente isoladas.

 O brasileiro Guilherme Simão Gontijo, trabalha como farmacêutico no Sudão do Sul.

Os principais modos de ação de MSF são:

  • Assistência de saúde primária em centros de saúde e clínicas móveis.
  • Alimentação e nutrição.
  • Saúde materno-infantil.
  • Campanhas de vacinação.
  • Diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças específicas (malária, tuberculose, chagas, HIV/Aids etc.).
  • Atendimento a feridos e cirurgia de guerra
  • Cuidados de saúde mental
  • Atendimento a vítimas de violência sexual
  • Distribuição de alimentos e de itens de abrigo de primeira necessidade
  • Construção e manutenção de estruturas de água e saneamento
  • Recuperação de hospitais e clínicas
  • Treinamento de profissionais (equipe MSF e parceiros de organizações governamentais e não governamentais).
Como atuamos?

·         Um projeto pode ser desencadeado pela existência de uma situação de crise que requer uma resposta humanitária ou pelo pedido de organizações internacionais, de um governo nacional ou de outras organizações não governamentais. O primeiro passo é enviar uma equipe ao local para avaliar a situação. 

·         Profissionais de MSF analisam, de acordo com o contexto, o número de pessoas afetadas, as necessidades médicas e nutricionais, a infraestrutura de transportes, água e saneamento, o ambiente político e a capacidade local de responder ao problema. Assim, a organização toma a decisão final de intervir ou não naquele país, determinando as prioridades de saúde, além de compor a equipe que entrará em ação e os recursos necessários para iniciar o projeto. 

·         Quando há uma emergência, uma intervenção pode ser efetuada entre 48 e 72 horas após identificado o problema. Por trás da agilidade de MSF, está um sistema de logística extremamente eficiente. A padronização dos métodos de trabalho, a organização de materiais em kits específicos, a manutenção de estoques permanentes e a experiência dos profissionais permitem que MSF chegue ao local afetado com rapidez e comece imediatamente a socorrer as vítimas. 

·         MSF possui quatro centros de logística na Europa e no Leste da África e estoques de equipamento na América Central e no Leste da Ásia. Dessa forma, materiais podem ser enviados de avião para regiões em crise dentro de 24 horas. 

·         Durante as atividades, a avaliação dos procedimentos é constante, para adaptá-los às necessidades da população atendida. A troca de informações entre o pessoal que está em campo e os centros operacionais é contínua, o que assegura flexibilidade das operações e otimização dos recursos em favor das pessoas assistidas. 

·         Todos os projetos de Médicos Sem Fronteiras têm prazo para terminar. Uma vez supridas as necessidades que levaram à instalação do projeto, MSF começa gradualmente a retirar suas equipes para encerrar o programa, ou para repassá-lo a ONGs locais ou ao governo do país. 

Identidade Humanitária

 O atendimento humanitários com imparcialidade, neutralidade e ética médica. Imagem: msf.org.br.

Médicos Sem Fronteiras desenvolve seu trabalho com base em princípios humanitários, como imparcialidade e neutralidade, e da ética médica. A organização tem o compromisso de levar cuidados médicos de qualidade a quem necessita, sem distinção de raça, religião ou convicção política. 

MSF é uma iniciativa independente de governos. E, antes de iniciar uma missão, cada equipe realiza uma avaliação no campo para verificar as reais necessidades das populações locais. A chave para que MSF atue com independência é sua origem financeira: 90% dos fundos da organização são provenientes de contribuições privadas. 

MSF é neutra. A organização não toma partido em conflitos armados, fornece cuidados de acordo com as necessidades básicas de cada população e luta pelo crescimento do acesso a vítimas de conflitos conforme regem as leis humanitárias internacionais. 
 Desde janeiro de 2005, MSF tratou mais de 30 mil crianças severamente desnutridas nas estruturas nutricionais de emergência ao redor de Maradi, Tahoua, Zinder, Diffa e Tilabéri.

Os princípios de ação de MSF estão descritos em sua Carta de Princípios, criada em 1971 para estruturar as atividades da organização. Leia a Carta de Princípios
 
COPYRIGHT ATRIBUIÇÃO - NÃO COMERCIAL © 

Copyright Atribuição –Não Comercial© construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Não Comercial.  Com sua atribuição, Não Comercial — Este trabalho não pode ser usado  para fins comerciais. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.

Você quer saber mais? 
















LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.