-

-

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Máquinas Aéreas. Messerschmitt Me 264.


 Messerschmitt Me 264

Em 1937, o departamento de desenvolvimento da Messerschmitt começou a trabalhar no Projekt 1062 (que mais tarde se tornaria o Me 261), uma aeronave de longo alcance usada a marcação de recordes de distância e, eventualmente, missões de reconhecimento. Simultaneamente, outra aeronave de longo alcance estava sen do desenvolvida, o Projekt 1061, que seria propelida por quatro motores, tendo um alcance de 20.000 km. Devi do à maior importância de outros projetos desenvolvidos naquela época (como o Bf 109 e o Bf 110), o Projekt 1061 foi pouquíssimo trabalhado até fins de 1940.O Departamento de Guerra Naval do Reich escreveu a Hermann Göring em 10 de agosto de 1940, avisando que uma aeronave com alcance mínimo de 6.000 km seria necessária para a concretização de um império colonial alemão na África central. Completando, o RLM acabara de expedir um requerimento para uma aeronave com alcance suficiente (12.000 km), para atingir os Estados Unidos partindo de bases france-sas, já antecipando a entrada dos americanos no conflito. A partir disso, o Projekt 1061 foi apressado.   

 Em 20 dezembro de 1940, Willy Messerschmitt informava seus designers Wolfgang Degel, Paul Konrad e Wal demar Voigt dos requerimentos para a nova aeronave. Os requerimentos iniciais eram 20.000 km de alcance; capacidade para serviço militar e civil; capacidade interna de 5.000 kg de bombas, com outras menores sendo carregadas sob as asas; e uma fuselagem bastante limpa.   

No início de 1941, foi recebido um pedido para a cons trução de seis protótipos do Projekt 1061, que recebe-ram a designação Messerschmitt Me 264 Amerika Bomber. Se provassem serem capazes, mais 24 e-xemplares seriam encomendados, para realizarem "perturbadores ataques aos Estados Unidos da Amé- rica".

Ao mesmo tempo, a Messerschmitt continuava seu trabalho numa versão de seis motores do Me 264, o Projekt 1075. Já que os designers trabalhavam a todo vapor, parte do trabalho foi repassado para a Fokker em Amsterdam.

Em 22 de janeiro de 1941, o RLM requisitou uma nova aeronave para a guerra anti-submarino. O Focke-Wulf Fw 200 Kondor, Heinkel He 177 Greif, Blohm & Voss BV 222, e o Messerschmitt Me 264 foram os concor-rentes da disputa. Por causa de sua performance que superava as expectativas, a Luftwaffe escolheu o Me 264. Diversas idéias para aumentar o alcance do Me 264 foram enviadas aos projetistas, incluindo rebocar o Amerika Bomber com outro até a altitude desejada; reabastecimento em vôo por outro Me 264; a adição de mais dois motores e o uso de foguetes para auxílio em decolagens com peso máximo. Com essas idé ias , viu-se que um alcance de 18.100 km e carga béli ca de 5.000 kg poderiam ser atingidos. O incrível alcance de 26.400 km podia ser atingido com a aeronave vazia! O armamento consistia de metralhadoras MG 131 ou MG 151 de 15 mm em torres controladas remotamente.

No início de 1942, já em guerra com os EUA, a Alemanha resolve reduzir o número de projetos em andamen-to, diminuindo o número de protótipos do Me 264 de seis para três. Em fevereiro, o projeto foi temporariamente entregue à Dornier, mas eles também trabalhavam acima da capacidade. Uma comissão enviada chegou ao complexo da Messerschmitt em Augsburg em 24 de abril de 1942, com a finalidade de checar as performan-ces do Me 264. Constatou-se que tais performances estavam acima de 90% do que a fábrica tinha afirmado. No mesmo dia, Willy Messerschmitt sugeria ao RLM usar seu Me 264 em missões no Atlântico e nos Esta-dos Unidos.   

Um estudo datado de 27 de abril mostra que uma ver são de reconhecimento de longo alcance do Me 264 teria autonomia suficiente para voar missões sobre Baku, Grosny, Swerdlowsk e outros alvos profundos na URSS; Dakar, Aden, Lagos, e o sul do Irã também estavam no alcance. Na América, não só Nova Jersey e Nova York podiam ser alcançadas, mas também al-vos em Ohio, Pensilvânia e até mesmo Indiana. Foi também planejado basear alguns Me 264 no Japão, realizando patrulhas sobre as Filipinas, Índia, Austrá- lia, e grande parte do Pacífico.
Logo após isso, em 7 de maio de 1942, foi expedido outro relatório, mostrando que o peso de decolagem do Me 264 era de 45.000 kg; se propelido por quatro motores Jumo 211J de 1.340 hp cada, teria alcance de 13.000 km; já com quatro BMW 801 de 1.600 hp cada, o alcance seria ampliado para 14.000 km. Houve uma reunião em 16 de maio para discutir o alcance total da aeronave. Percebeu-se que qualquer vôo com mais de 13.500 km necessitaria de reabastecimento aéreo, mas o General Jeschonnek já tinha descartado essa opção em fevereiro (embora bem-sucedidos testes de reabastecimento já tivessem sido realizados com um Focke-Wulf Fw 58 Weihe e um Junkers Ju 90). Essa decisão encerrou temporariamente as discussões sobre ata-ques à América ou patrulhas sobre a ferrovia Trans-Siberiana e África.

Os Três primeiros protótipos

Em julho de 1942, os três protótipos estavam em construção. Esperava-se que o Me 264 V1 iniciasse seus testes de vôo em 10 de outubro, mas a data foi atrasada devido a atrasos na entrega de componentes.

Finalmente, em 23 de dezembro de 1942, com Karl Baur nos controles, o Me 264 V1 RE+EN realizou seu primeiro vôo, que durou 22 minutos. O trem de pouso ficou abaixado, por questões de segurança. Os testes seguintes foram feitos em Lechfeld, por ter uma pista de concreto longa o suficiente para acomo dar o Amerika Bomber.   

O Me 264 V1 tinha uma fuselagem metálica circular bastante limpa. O cockpit era extensivamente envidraçado, e tinha por trás de si uma área de descanso da tripulação e uma passagem que ficava acima do compartimento de bombas. As asas eram altas e retinham todo o combustível. O trem de pouso era do tipo triciclo, bastante incomum na época para uma aeronave tão grande. A roda do nariz era única, embora testes tivessem sido feitos com rodas duplas. Os testes mostraram certa perda de manobrabilidade, mas nada preocupante. Devido ao crescente aumento no peso total, o trem de pouso teve de ser reforçado, e rodas extras descartáveis foram consideradas.   

O segundo protótipo teria asas alongadas e mais 1.000 kg de blindagem. Fora declarado pronto para voar quan do, junto com os outros, foi destruído num bombardeiro. Durante os testes em 1943, o Me 264 ainda tinha futuro incerto. O Almirante Karl Dönitz e o comando da Kriegs marine favoreciam o Focke-Wulf Ta 400. No entanto, essa aeronave não estava planejada para ficar pronta antes de 1946, e foi decidido que o Junkers Ju 290, He 177, e hexamotor Ju 390 fossem produzidos para uso no reconhecimento marítimo. Em maio de 1943, uma mensagem telegráfica chegou à Messerschmitt, dizen-do que o Me 264 deveria ser abandonado. A notícia cau sou grande choque, visto que uma semana antes o RLM insistia na conclusão dos três protótipos.

Em junho de 1943, Willy Messerschmitt contatou Adolf Hitler para informá-lo do progresso do avião, esperando que o Führer intercedesse a seu favor. Em 8 de julho, Hitler prometeu apoio ao projeto, mas somente para uso marítimo. Ao mesmo tempo, desistia de sua idéia de bombardear os EUA: "As poucas aeronaves que conse-guissem chegar ao alvo, só provocariam a resistência da população". Um dia depois, a Luftwaffe concordou com o prosseguimento do projeto, mas somente para estudo.

Em 29 de junho de 1944, decidiu-se que o Me 264, assim como  Ju90, eram inadequados para fins operacionais, já que quando total mente equipados com itens militares e carga, sofreriam aumento ex cessivo no peso de decolagem. Então, em 18 de julho de 1944, os três protótipos do Amerika Bomber foram destruídos num bombar-deiro Aliado, junto com 80% das linhas de montagem.  

Embora numerosas tentativas de ressuscitar o programa tenham sido feitas, em 23 de setembro o Almirante Dönitz e Adolf Hitler concordaram em encerrá-lo definitivamente. A diretiva foi entregue em 18 de outubro, dan-do fim a oito anos de desenvolvimento que levaram ao vôo somente uma aeronave de testes, longe de ser operacional.


COPYRIGHT ATRIBUIÇÃO - NÃO COMERCIAL © 

Copyright Atribuição –Não Comercial© construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Não Comercial.  Com sua atribuição, Não Comercial — Este trabalho não pode ser usado  para fins comerciais. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.



Você quer saber mais? 
















LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.