-

-

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Julgamento da História. Engelbert Dollfuss, herói ou vilão?



Engelbert Dollfuss com as tropas austríacas. Um dos poucos líderes europeus que desafiou Hitler. Imagem: Itusozluk.

Chanceler austríaco, entre 1932 e 1934, Engelbert Dollfuss nasceu em 1892, em Kirnberg, na Áustria.
A mãe solteira Josefa Dollfuss e seu amante José Weninger. O casal de origem camponesa foi incapaz de se casar devido a problemas financeiros. Josefa casou latifundiário Leopold Schmutz alguns meses após o nascimento de seu filho, que não adotou Engelbert, como seu próprio filho. Dollfuss, que foi criado como um devoto católico romano, ficou por um breve período no seminário antes de decidir estudar Direito na Universidade de Viena e depois de economia na Universidade de Berlim . Aqui ele conheceu Alwine Glienke, uma mulher alemã de uma família protestante, com quem se casou em 1921. O casal teve um filho e duas filhas, uma das quais morreram na infância.
 
Dollfuss teve dificuldade em ganhar admissão no exército austro-húngaro na Primeira Guerra Mundial, porque ele media apenas 153 cm de altura. Ele acabou sendo aceito e enviado para Frente Alpina. Ele era um soldado condecorado e foi brevemente preso pelos italianos como um prisioneiro de guerra, em 1918.  

 Dollfuss, falando ao povo. Imagem: Commemora.

Depois da guerra, ele trabalhou para o Ministério da Agricultura como secretária da Associação dos Agricultores e tornou-se diretor da Câmara da Agricultura da Baixa Áustria, em 1927. Em 1930, como membro do conservador Partido Social Cristão (CS), foi nomeado presidente do Sistema Ferroviário Federal. (Um dos fundadores do CS era um herói de Dollfuss ', Karl Freiherr von Vogelsang.).

Após a renúncia consecutiva de três presidentes na Áustria devido a supostas irregularidades nas eleições. Sem um presidente, o Parlamento não poderia concluir a sessão. Dollfuss levou os três pedidos de demissão como um pretexto para declarar que o Conselho Nacional se tornou impraticável, e aconselhou o presidente Wilhelm Miklas a emitir um decreto adiando indefinidamente. Quando o Conselho Nacional queria reunir-se um dia após a renúncia dos três presidentes, Dollfuss colocou a polícia na entrada do parlamento, eliminando efetivamente a democracia na Áustria. A partir daí, ele governou como ditador por decreto de emergência com o poder absoluto.

Bandeira da Áustria sob o governo do Chanceler Engelbert Dollfuss. Imagem: World Flags.
 
Dollfuss estava preocupado com a ascensão do Nacional Socialismo e seu líder Adolf Hitler, que acabará de se tornar chanceler da Alemanha, em 1933, o Partido Nacional Socialista Austríaco (DNSAP) poderia ganhar uma minoria significativa em eleições futuras (de acordo com o estudioso do fascismo Stanley G. Payne, se as eleições fossem realizadas em 1933 , o DNSAP poderia ter reunido cerca de 25% dos votos. Analistas sugere um maior apoio de 50%, com uma taxa de aprovação de 75% no Tirol (região de fronteira da Alemanha nazista).

 Dollfuss e seus aliados falam ao povo austriaco. Imagem: Time Magazine.

Foi chanceler austríaco pelo Partido Social-Cristão Austríaco (Christlichsoziale Partei Österreich) em 1932. Em 1920 era líder do Partido Cristão Socialista austríaco; em 1932 aliou-se à Heimwehr (Guarda Civil), grupo fascista austríaco apoiado pelo ditador fascista italiano Benito Mussolini; em 1933, Dollfuss dissolveu o Parlamento, aboliu as liberdades fundamentais, ilegalizou o Partido Comunista e o Schutzbund (braço armado do Partido Social-Democrata).

A ação política monopoliza a frente patriótica, e deu ao estado austrofascista uma organização empresarial, inspirado na doutrina social do Papa Pio XI. Em junho desse mesmo ano ilegalizou também o Partido Nazista austríaco, que pressionava a opinião pública para aceitar a união da Áustria com a Alemanha. 

O Chanceler Dollfuss era visto pelo povo austríaco como um herói. Imagem: Artikel 32.

Em fevereiro de 1934 registram-se violentos protestos dos trabalhadores de Viena contra os assaltos da Heimwehr (que Dollfuss continuava a utilizar) a centros operários e jornais; na sequência destes acontecimentos, o Partido Socialdemocrata decretou uma greve geral que conduziu a uma verdadeira guerra civil; após vários dias de luta, e sempre com a atuação decisiva da Guarda Civil, a greve é interrompida.

Dollfuss modelou o Fascismo austríaco com base no Fascismo Italiano justaposto ao Corporativismo Católico e anti-secularismo, e o temor de uma reunificação com a Alemanha, enquanto o Partido Nazista permanecesse no poder. Em agosto de 1933, o governo de Mussolini emitiu uma garantia de independência a Áustria. Dollfuss também trocou 'cartas secretas "com Benito Mussolini sobre as maneiras de garantir a independência da Áustria. Mussolini estava interessado na Áustria formando uma zona
tampão contra a Alemanha nazista.

 Dollfuss, sempre receou as reais intenções de Hitler com a Áustria. Imagem: Commemora.

Dollfuss sempre destacou a semelhança entre os regimes de Hitler na Alemanha e Joseph Stalin na União Soviética, e estava convencido de que Fascismo austriaco e o Fascismo italiano poderia contrariar o totalitarismo do nacional-socialismo e do comunismo na Europa.

Depois disto, Dollfuss dissolveu todos os partidos políticos, com exceção do seu próprio, a Vaterlandische Front (Frente Nacional), e convocou um Parlamento que votou uma Constituição que instituía um Estado Federal Cristão Germânico em bases corporativas. Engelbert Dollfuss foi assassinado numa tentativa frustrada de um golpe nazista em 25 de julho de 1934 em Viena por dez nazistas austríacos que invadiram o edifício da Chancelaria.

Mussolini não teve dúvidas em atribuir o ataque ao ditador alemão: a notícia chegou a ele em Cesena , onde ele estava examinando os planos para um hospital. O Duce deu pessoalmente o anúncio para a viúva e seus filhos , que eram seus convidados  na vila de Riccione.
Mussolini também mobilizou uma parte do exército italiano para defender a fronteira da Áustria e Hitler ameaçou Mussoline com a guerra caso uma invasão alemã fosse iniciada em direção a Áustria.

 Engelbert Dollfull,  amor incondicional a Áustria ( * 1892- + 1934). Imagem: Vienna Tourist Guide.
 
Em seguida, Mussolini anunciou ao mundo: "A independência da Áustria, para que ele tenha caído, é um princípio que tem sido defendida e será defendido pela Itália ainda mais árdua".
 
Na praça principal de Bolzano a estátua de Walther Von der Vogelweide , um trovador germânico, foi substituída pela de Druso, um general romano que conquistou parte da Alemanha.
 
Este foi o maior momento de atrito entre fascismo e nacional-socialismo e o próprio Mussolini afirmou várias vezes as diferenças entre os regimes fascistas e nacional-socialista.

O assassinato de Dollfuss foi acompanhado der revoltas em muitas regiões da Áustria, resultando em mais mortes. Em Caríntia, um grande contingente de nazistas alemães tentaram tomar o poder, mas foram subjugados pelas unidades italianas nas proximidades.
 
Imediatamente Hitler ficou surpreso com reação italiana e convencido de que ele não podia manter mais inimigos no ocidente e a necessidade da aliança com a Itália, negou a responsabilidade pelo atentado ao Chanceler Dullfuss, oficialmente afirmando o seu pesar pelo assassinato do primeiro-ministro austríaco. Ele substituiu o embaixador de Viena por Franz Von Papen e impediu os conspiradores de entrarem na Alemanha, também expulsou-os do Partido austríaco nazista.
 
De uma população de 6,5 milhões, cerca de 500.000 austríacos estavam presentes no enterro Dollfuss 'em Viena. Ele foi enterrado no Hietzing cemitério de Viena ao lado de sua esposa Alwine Dollfuss (+ 1973) e dois de seus filhos , Hannerl e Eva, os quais estavam na Itália como convidados de Rachele Mussolini, no momento de sua morte, um evento que viu o próprio Mussolini verter algumas lágrimas sobre seu aliado morto.

COPYRIGHT ATRIBUIÇÃO - NÃO COMERCIAL © 

Copyright Atribuição –Não Comercial© construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Atribuição-Não Comercial.  Com sua atribuição, Não Comercial — Este trabalho não pode ser usado  para fins comerciais. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes e seus atributos de direitos autorais.

Você quer saber mais? 








LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.