-

-

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Santos Dumont comemora 139o aniversário com homenagem de um Google Doodle


Imagem: Hypescience

Santos Dumont comemoraria hoje 139 anos. O Google está homenageando este grande gênio com o doodle acima na sua página inicial de buscas. Naturalmente o doodle aparece apenas para o Google Brasil, já que os norte-americanos adoram afirmar que foram os irmãos Wright que inventaram o avião. 

Criar uma máquina “mais pesada que o ar” que pode decolar e voar sozinha não é um feito qualquer. E Santos Dumont foi indubitavelmente o primeiro a realizá-lo já que a máquina voadora original dos irmãos Wright foi em realidade catapultada já que não conseguia decolar por si só.

O mais curioso é que desde o 14 Bis apenas recentemente foi descoberto à causa real pela qual os aviões conseguem voar...e não é pelo motivo que você pensa que sabe.

 Imagem: Hypescience

Dumont também foi quem popularizou os relógios de pulso entre os homens. Ele era grande amigo do famoso relojoeiro Louis Cartier e reclamou para o mesmo que tinha muita dificuldade em cronometrar os voos de suas máquinas malucas usando relógios de bolso ao mesmo tempo que as pilotava. Cartier em seguida o presenteou com um relógio de pulso com pulseira de couro com o qual cronometrava seus recordes voadores.


Outra curiosidade sobre Santos Dumont é que ele nunca se casou e não há registros namoradas. Em 1908 Santos Dumont foi diagnosticado com esclerose múltipla e não era mais capaz de dirigir ou pilotar suas invenções e a doença o levou a uma profunda depressão. 

De certa maneira podemos dizer que sua invenção também foi, de certa maneira, a causa de sua morte. Suicidou-se aos 59 anos de idade possivelmente por haver avistado os aviões de Getúlio Vargas a caminho de um ataque contra a Revolução Constitucionalista no Campo de Marte em 23 de julho de 1932.


Você quer saber mais? 


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.