-

-

domingo, 29 de julho de 2012

Deep Web ou Darknet. O inferno oculto na internet!


Imagem: Tecmundo.

Sabe aquele ditado que diz:”se não tem no Google não existe”, pois se você já disse isso alguma vez nunca esteve tão enganado na vida.

Este é assunto muito polemico tão polemico que as pessoas preferem não comentar, muitos dizem coisas horríveis da deep web, é verdade que existem coisas horríveis lá, mas também existe coisa boa, mas pode ser muito perigoso, para se ter uma ideia vários fóruns proíbem seus participantes de criarem tópicos sobre o assunto.

Mas o que é a deep web?

A Deep Web é a internet que você não consegue ver, são bilhões de sites não indexados pelos buscadores. Um mundo totalmente desconhecido e invisível para a maioria das pessoas.

Estima-se que a Deep Web, ou Darknet como é chamada por alguns, seja bem maior que a web surface, que é a web alcançada pelos buscadores e navegadores comuns. Milhares de páginas com todo tipo de conteúdo, desde simples blogs que os autores preferem o anonimato, a sites com conteúdos extremamente desagradáveis e ilegais. 

Alguns dizem que a Deep Web é o inferno da internet, que existem coisas lá que provém do lado mais obscuro da mente humana, coisas que só de ver você já estaria cometendo uma série de crimes. Há muitos rumores sobre o lado negro da web, pessoas que acessaram a Deep Web sem o devido cuidado e se arrependeram. Toneladas de vírus, e centenas de hackers, crackers, e lammers habitam a internet invisível

Tráfico de drogas, compra e venda de produtos roubados, venda de cartões clonados, fotos altamente proibidas e mais uma centena de coisas que você não vai querer saber. Terabytes de dados e documentos praticamente intocados pelos olhos dos internautas. Enfim, uma série de coisas que não vemos na web comum. A Deep Web pode ser definida por camadas, sendo que as mais profundas poucos conhecem.

 Imagem: Kislinux

Os mecanismos de pesquisa não têm em seus bancos de dados todas as páginas de internet. Pelo menos 1/3 da web, dizem alguns, não é pesquisada quando você procura algo no Google, por exemplo. 

Em parte isso se deve aos sites, páginas que exigem cadastro ou acesso especial. Outros sites intencionalmente bloqueiam mecanismos de pesquisa ou têm seu conteúdo em formato que é difícil de pesquisar, como imagens. O que está invisível, porém, não é um “inteiro”. São fragmentos sem ligação entre si. Não existe uma forma de ter acesso a essa “internet”, mas sim a algumas de suas pequenas partes, e mesmo assim é apenas para quem conhece as pessoas certas e tem o conhecimento técnico necessário. O alcance completo do que está por aí ninguém sabe.

Ela é 500 vezes maior que a web visível (e ainda dizem que se não tem no Google não existe, eu acho que o ditado correto é “se não tem no Google com certeza está
na Deep Web). Em 2008, a web chamada “Deep Web”, não ref­er­en­ci­ada pelos motores de busca rep­re­senta 70 a 75% do total, ou seja, cerca de um tril­hão de pági­nas não indexadas. Apenas 3% da Web está visível o resto é Deep Web.

Existem aproximadamente 8 camadas dessa deep web e quanto mais você vai se aprofundando mais perigoso fica, a única camada mais conhecida se chama Onion que é primeira.

 Imagem: Variedades e dicas.

Desde 2001, a deep web recebe atenção especial por parte de órgãos investigadores em busca de pistas de crimes virtuais. Assim como a grande rede aberta, o lado oculto da internet também revela segredos nocivos que, se mal-utilizados, podem trazer sérios problemas para todos os envolvidos.

Atenção: acessar conteúdo disponível na deep web, em alguns casos, pode ser uma experiência perigosa e bastante desagradável. Informações que rapidamente seriam banidas na rede aberta circulam livremente na web invisível. Todas as páginas consultadas não recomendam, em hipótese alguma, o acesso a qualquer conteúdo da Deep Web. A Deep Web é monitorada por órgãos de segurança como: FBI e Polícia Federal. Nada é anônimo na internet, o seu provedor de internet atrela um NRC ( uma espécie de RG, ele vem discriminado no contrato de concessão de serviço banda larga que você solicitou e não é possível ser deletado ou mascarado, muitos crackers nem sabem da sua existência. O NRC consiste numa referência única para determinado serviço da Telefônica, o que inclui a Banda Larga da internet. Este número não se altera, ainda que algumas condições técnicas ou comerciais do serviço prestado se alterem.) ao seu IP o que torna tudo visível para a Policia Federal que tem acesso a esses dados, para acessar qualquer site é necessário efetuar uma solicitação os logs de registro não podem ser apagados de forma remota.

Com a popularização da internet no Brasil, logo se notou que carecia de políticas e ações concretas de enfrentamento a estes fenômenos complexos, que envolvem variáveis econômicas, sociais e culturais, com desdobramentos e implicações nos campos da ética, da moral, da educação, da saúde, do direito, da segurança pública, da ciência e da tecnologia, a SaferNet Brasil se consolidou como entidade referência nacional no enfrentamento aos crimes e violações aos Direitos Humanos na Internet, e tem se fortalecido institucionalmente no plano nacional e internacional pela capacidade de mobilização e articulação, produção de conteúdos e tecnologias de enfrentamento aos crimes cibernéticos e pelos acordos de cooperação firmados com instituições governamentais, a exemplo do Ministério Público Federal.

Por meio do diálogo permanente, a SaferNet Brasil conduz as ações em busca de soluções compartilhadas com os diversos atores da Sociedade Civil, da Indústria de Internet, do Governo Federal, do Ministério Público Federal, do Congresso Nacional e das Autoridades Policiais.

O ideal da SaferNet é transformar a Internet em um ambiente ético e responsável, que permita às crianças, jovens e adultos criarem, desenvolverem e ampliarem relações sociais, conhecimentos e exercerem a plena cidadania com segurança e tranqüilidade.

Você quer saber mais?






LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.