-

-

sábado, 9 de junho de 2012

Torre de Pisa, uma obra prima da engenhosidade humana.



A TORRE DE PISA, é um campanário da catedral da cidade italiana de Pisa. Está situada atrás da catedral, e é a terceira mais antiga estrutura na praça da Catedral de Pisa. Embora destinada a ficar na vertical, a torre começou a inclinar-se para sudeste logo após o início da construção, em mil cento e setenta e três, devido a uma fundação mal construída e a um solo de fundação mal compactado, que permitiu à fundação ficar com assentamentos diferenciais. Sua inclinação está voltada para o sudeste.

A torre mede 55,86 metros no lado mais baixo e de 56,70 metros na parte mais alta. A espessura das paredes na base é de 4,09 metros e 2,48 metros no topo. Seu peso é 14 500 toneladas. A torre tem 296 ou 294 degraus: o sétimo andar da face norte das escadas tem dois degraus a menos. Antes do trabalho de restauração realizado entre
mil novecentos e noventa e dois mil e um a torre estava inclinada com um ângulo de 5,5 graus, estando agora a torre inclinada em cerca de 3,99 graus. Isto significa que o topo da torre está a uma distância de 3,9 m de onde ele estaria se a torre estivesse perfeitamente na vertical. 

 Torre de Pisa, e a Catedral de Pisa.

Segundo a tradição Galileo Galilei, deixou cair duas balas de canhão de massas diferentes de cima da torre para demonstrar que a sua velocidade da descida era independente da sua massa. Durante a Segunda Guerra Mundial os Aliados descobriram que os nazistas estavam usando a torre como um posto de observação. Logo o destino da torre foi confiado ao sargento  do Éxercito dos Estados Unidos, mas sua decisão de não recorrer a um ataque de artilharia salvou assim a torre da destruição. 

Em vinte e sete de fevereiro de mil novecentos e sessenta e quatro, o governo da Itália solicitou ajuda para impedir a queda da torre. Foi, no entanto, considerado importante manter a inclinação, devido ao papel vital que este elemento desempenhou na promoção do turismo de Pisa. Uma força-tarefa multinacional, composta por engenheiros, matemáticos e historiadores, reuniu-se nos Açores a fim de discutir os métodos de estabilização. Verificou-se que a inclinação foi aumentando por causa da fundação pouco consistente. Vários métodos foram propostos para estabilizar a torre, incluindo a adição de 800 toneladas de contrapesos. 

 
Em mil novecentos e oitenta e sete a torre foi declarada como parte da Piaza del Duomo e Patrimônio Mundial da Unesco, juntamente com a catedral vizinha, o batistério e o cemitério. A solução final para evitar o colapso da torre foi endireitá-la ligeiramente para um ângulo mais seguro, removendo 38 metros cúbicos do solo abaixo. A torre foi tracionada até 18 polegadas (45 centímetros), retornando para a posição exata que ocupava em mil oitocentos e trinta e oito. Após uma década de reconstrução corretiva e esforços de estabilização.

Em maio de dois mil e oito, após a remoção de mais 70 toneladas de terra, os engenheiros anunciaram que a torre tinha sido estabilizada em tal ordem que havia parado de se mover pela primeira vez em sua história. Agora ela foi declarada estável pelos próximos duzentos anos, um grande feito para uma grande obra prima.

Autor: Leandro CHH

Copyright © construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Você quer saber mais?





LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.