-

-

sábado, 30 de junho de 2012

SAMOVOL’ SHCHINA (FAZER O QUE SE QUER).



A “Grande” Revolução Comunista Russa de 1917, chamada pelos mesmos de SAMOVOL’ SHCHINA que traduzindo literalmente significa “Fazer o que se quer” ou “Fazer tudo que se têm vontade”, foi um nome bem apropriado para as consequências que sua revolução causaria não só na Rússia, mas em todo o mundo.

Não só fizeram todas as atrocidades já vista pela humanidade, mas também inovaram em muito. O comunismo oriundo da Revolução Russa mostrou ao mundo a mais triste realidade da depravação humana.

Seguimos então nosso raciocínio dentro de; FAZER O QUE SE QUER E TUDO QUE SE TÊM VONTADE. Dentro desse aparente slogan de liberdade encontramos um Estado que supostamente seria governado pelo povo e para o povo, mas o que encontramos foi uma elite do PC Russo que governou a Nação segundo sua vontade, e para seu deleite. Deixando para o povo fazer também tudo o que quisesse, desde que o Estado Comunista permiti-se é claro, vejamos uma lista de itens de “liberdade”, segundo o seu conceito e seu slogan:

O Povo poderia fazer (ou teria que fazer!)............

PODEM TRABALHAR:Trabalhavam aonde o Estado estabelecia.

PODEM RESIDIR EM TODOS OS LUGARES: Mudavam de residência se assim o Estado achasse necessário.

PODEM VIVER MAIS PRÓXIMOS A SUA COMUNIDADE: Moravam em uma única casa com várias famílias, pois segundo seu conceito o Estado é a família maior.

PODEM SER PAIS E MÃES DE TODAS AS CRIANÇAS DA NAÇÃO: As crianças eram consideradas filhos (as) do Estado e deveviam lealdade e fidelidade a ele acima dos pais.

PODEM TER A “MELHOR” EDUCAÇÃO: Se o Estado Soviético achasse necessário às crianças eram obrigadas a ir para internatos aonde recebiam um verdadeiro estudo ao terror, pois todas áreas da educação eram voltas para a visão comunista e desse modo distorcida. Além de oprimirem severamente as crianças desobedientes, imperava o terror dos ensinamentos ateístas.

PODEM SER DONOS DE TODA NAÇÃO: Diziam que tudo no Estado era de propriedade do Estado, e desse modo afirmavam que era “de todo o povo”, mas como bem sabemos não foi bem assim que funcionou. O que significa que os cidadãos não são donos de nada e ao mesmo tempo de tudo (pura retórica comunista).

PODEM SER POLIGAMOS: Os dois fundamentos do casamento atual foram abolidos; afirmavam a liberdade da mulher, pois diziam que a mesma era escrava do marido no mundo capitalista. Sendo assim a poligamia no sistema comunista era vista como um fenômeno próprio e perfeitamente realizável. Por que segundo seu conceito o capitalismo proibindo a poligamia gerava a marginalização da poligamia pelo Estado. Em sua visão o homem e a mulher deveriam ser livres de qualquer laço sagrado ou matrimonial poderão se unir a quem quisessem e quando quisessem. Ensinavam que a monogamia deveria ser vista como uma opressão da sociedade capitalista sobre o individuo e como tal prejudicial para o Estado comunista.

PODEM FAZER CURSOS PROFISSIONALIZANTES: Sendo de necessidade do Estado Soviético que trabalhadores ou alunos realizem cursos para áreas aonde falta pessoal qualificado. O governo indicará os cursos necessários aos indivíduos para preencher os mesmos sem nenhum interesse em sua opinião ou opção.

Aqui poderíamos continuar com os muitos “benefícios” e “oportunidades” oferecidos pela “liberdade comunista”, mas acredito que essa pequena lista já oferece uma visão bem clara de como é a ideia de “liberdade” para os comunistas.

 
O Povo não pode fazer (ou não desejar!)............

NÃO PODEM ESCOLHER SEU EMPREGO: Nenhum cidadão da URSS tinha direito de escolher aonde iria trabalhar é claro salvo as raras exceções da elite do PC que se fartava do melhor que existia. Na União Soviética, gabavam-se de dar um emprego para cada trabalhador, muitos trabalhos eram tão improdutivos quanto se não existissem. O fato é que a produção era tudo, e os empregos nada mais eram do que meios para se atingir esse fim, independente do desejo do funcionário.  O socialismo implantado na União Soviética acabou por trazer desabastecimento de matérias –primas essenciais para a industrialização.      Os indivíduos criados de acordo com a ideologia socialista, tornar-se-iam incapazes de usufruir de seus direitos. O socialismo ao contrário do que foi defendido pelos idealizadores acabaria por gerar desemprego, uma vez que não se aceita já a indolência, mas sempre realocava os trabalhadores a sua vontade.

NÃO PODEM ESCOLHER UM LOCAL PARA RESIDIR: As pessoas residiam em local estabelecido pelo Estado Soviético, muitas famílias eram acomodadas em locais pequenos com poucos cômodos. Facilitando a proliferação de doenças, seja pelo aglomeramento ou pela precária higiene.

NÃO PODEM TER PRIVACIDADE E PARTICULARIDADE COM SUA FAMÍLIA: As famílias podem ser realocadas para residências multifamiliares aonde terão a honra de compartilhar sua residência com demais compatriotas. Isso será feito quando o Estado achar necessário para o bem de toda a nação. Durante a década de 1920, quando o sonho utópico de construir novas formas coletivas ditava a política, os bolcheviques deram prioridade para ‘casas comunitárias’ (doma kommuny) – gigantescos blocos comunitários com fileiras de quartos para milhares de trabalhadores e suas famílias, com cozinhas, banheiros e lavanderias comunitárias. Os construtivistas na União de Arquitetos Contemporâneos vinham se mantendo na vanguarda da campanha soviética de obliteração da esfera privada.”

NÃO PODEM SER PAIS E MÃES DE SEUS FILHOS OU EDUCÁ-LOS: Os filhos dos cidadãos, eram tidos como filhos da Nação Soviética e deste modo filhos de todos pelo partido (PC) e eram educados por todos. Muitos eram enviados a internatos, ou escolas diurnas retornando para suas casas somente a noite para dormir. Deste modo sua educação saia do lar familiar era passada para o Partido Comunista ensinar o que era melhor para seus filhos e logo para o Partido Comunista.

NÃO PODEM ESCOLHER AONDE E O QUE ESTUDAR: Os curso profissionalizantes eram oferecidos pelo Estado Soviético e distribuídos segundo os indivíduos pré-estabelecidos e considerados mais aptos para tais. Cada um era obrigado a aceitar seu local na sociedade e utilizar das suas habilidades para a nação e sua existência, mesmo em prejuízo pessoal.

NÃO PODEM POSSUIR PROPRIEDADES PARTICULARES: Cada um deveria viver com o todo e para o todo desse modo, cada um passaria a serem dono e proprietário de tudo na nação, segundo o conceito comunista. E sabedor de que nada a ele faltará (Mas sabemos dos milhões de mortos pela fome na URSS). Afirmavam estarem tirando a Ilusão da propriedade privada e colocando a frente à propriedade comunal.

NÃO PODEM CULTUAR ÍCONES RELIGIOSOS: Na URSS desde 1922 tornou-se um Estado ateísta. Em 1934, 28% das igrejas ortodoxas cristãs, 42% das mesquitas muçulmanas e 52% das sinagogas judaicas foram fechadas na URSS. O ateísmo na URSS era baseado na ideologia marxista-leninista. Tal como o fundador do Estado soviético, Lênin falou o seguinte sobre a URSS e as religiões:
“A religião é o ópio do povo: este ditado de Marx é a pedra angular de toda a ideologia do marxismo sobre religião. Todas as modernas religiões e igrejas, todos (…) os tipos de organizações religiosas são sempre considerados pelo marxismo como órgãos de reação burguesa, usados para a proteção da exploração e o assombro da classe trabalhadora.”
 
O comunismo tem defendido firmemente o controle, repressão, e, em última análise, a eliminação das crenças religiosas. Dentro de cerca de um ano da revolução de 1917 o estado expropriou todos os bens da Igreja, incluindo as próprias igrejas, e no período de 1922 a 1926, 28 bispos Ortodoxos Russos e mais de 1.200 sacerdotes foram mortos (um número muito maior foi objeto de perseguição).

Afirmavam que sua meta principal era “libertar” a “verdadeira natureza dos homens”, suprimindo o direito a propriedade privada e pelas instituições dela derivadas. Falavam em uma completa transformação, não só de toda a ordem política por meio da extinção de todos os partidos políticos com é claro a exceção do seu o PC, ou Partido Comunista Russo. Acreditavam que seu sistema mudaria toda ordem socioeconômica pré-estabelecida, mais da própria existência humana.

O próprio monstro comunista Leon Trotski afirmou que: “Os comunistas viraram o mundo ao avesso”.

E pelo que a História nos mostra foi muito bem em seus desígnios de LIBERTAR A VERDADEIRA NATUREZA DOS HOMENS, pois seu sistema político custou à vida de 30 milhões de russos e 100 milhões de vidas pelo mundo aonde seu Partido pode alcançar!

Autor: Leandro Claudir

COPYRIGHT – DIREITOS AUTORAIS.

Copyright © construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Você quer saber mais?

PIPES, Richard. História Concisa da Revolução Russa. Rio de Janeiro: Edições BestBolso, 2008.









LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.