-

-

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O Messerschmitt Me 163 Komet



Me 163

O Messerschmitt Me 163 Komet,  desenhado por Alexander Lippisch, era um avião de combate alemão a jato. Foi o primeiro avião a jato operacional, propulcionado por foguetes. Seu design foi revolucionário, e o Me 163 era capaz de um desempenho inigualável em voo. O piloto de testes do Messerschmitt, Rudy Opitz em 1944 chegou a 1.123 kmh (698 mph). Mais de 300 aeronaves foram construídas;  No entanto, o Komet se mostrou ineficaz em combate, tendo sido responsável pela destruição de apenas cerca de nove aeronaves aliadas (16 vitórias do ar por 10 perdas, segundo outras fontes). 

O projeto iniciado sob a égide da Forschungsanstalt Deutsche für Segelflug (DFS) Instituto Alemão de Estudos de vôo planador. Seu primeiro projeto foi uma conversão do anterior Lippisch Delta IV conhecido como o DFS 39 e usado apenas como um teste para as asas da aeronave.

 
A versão seguinte com um motor munido de uma pequena hélice começou com os 194 DFS. Esta versão utilizava asas como lemes, que Lippisch sentiu que poderia causar problemas em alta velocidade. Mais tarde, redesenhado-los para ser montado sobre um estabilizador vertical convencional na parte traseira da aeronave. O projeto incluiu uma série de características de um planador, com uma derrapagem utilizada para pousos, o que poderia ser recolhido na quilha da aeronave em vôo. Para a decolagem, um par de rodas, cada uma montada nas extremidades de um de um eixo transversal especialmente concebidos, em conjunto compreendendo uma decolagem "dolly" montado debaixo do estrado de aterriçagem, foram necessárias devido ao peso do combustível, mas estes eram libertados pouco depois decolagem. Foi planejado para passar para o Walter R-1-203 motor de 400 kg (880 lb) movimento por propulsão de foguete.

Heinkel também trabalhou com com Hellmuth Walter em seus motores de foguete, montados no 112 para testes, e mais tarde no primeiro avião com a finalidade para o uso de foguetes, o He 176. Heinkel também havia sido escolhido para produzir a fuselagem para o DFS 194, quando entrou em produção, verificou que o  combustível altamente volátil seria muito perigoso em uma fuselagem de madeira, com os quais poderia reagir. O trabalho continuou sob o codinome Projekt X.

 Me 163D

No entanto, a divisão de trabalho da DFS e Heinkel teve alguns problemas, e  a DFS parecia incapaz de construir a fuselagem para um protótipo. Lippisch solicitou sua saída do projeto junto com sua equipe da DFS a Messerschmitt. Em 2 de janeiro de 1939, mudou-se juntamente com sua equipe da DFS, concluíu parcialmente 194 aviões

para a Messerschmitt em Augsburg.
Uma vez no Messerschmitt, a decisão foi tomada para saltar sobre a versão movida a hélice e ir diretamente ao poder do foguete. A estrutura foi concluída em Augsburg e enviados para Oeste de Peenemünde no início de 1940 para receber seu motor. Embora o motor provou ser extremamente confiável, a aeronave teve um excelente desempenho, atingindo uma velocidade de 342 mph (550 km / h) em teste.

 
O motor utilizava um propelente resultante da mistura de dois componentes fortemente reativos, os quais causaram uma série de acidentes que quase inviabilizaram o projeto. Uma operação especial e extremamente controlada era necessária cada vez que o aparelho era abastecido. Os dois caminhões-tanque, claramente identificados, cada um com um dos reagentes, se aproximavam da aeronave em momentos diferentes, sendo o piso e o avião lavados entre um abastecimento e outro.

O avião, então abastecido, decolava a uma espantosa velocidade, atingia rapidamente   altitude mergulhava sobre os bombardeiros. Como sua autonomia era muito pequena, cerca de oito minutos, o voo prosseguia, após os ataques, como um voo planado, momento em que se tornava um alvo fácil. Seu pesado armamento podia abater um B-17 com apenas três disparos, no entanto sua velocidade de aproximação era por demais elevada causando dificuldades operacionais aos pilotos, não acostumados a esse desempenho, ainda mais que os pilotos na maioria devido às baixas da Lufwaffe, eram de jovens e pouco treinados. Era um avião extremamente instável mas de concepções inovadoras. A despeito de sua extrema performance apenas 16 bombardeiros foram abatidos por essa aeronave, sendo este um resultado insignificante frente a situação a que se achava a Alemanha ao final do conflito.

O Me 163A V4 prototipo, em 1941.

É interessante observar que ao final da guerra exemplares deste avião cairam nas mãos dos aliados, sendo este projeto, ou alguns de seus conceitos, utilizados para o projeto "X", cujo aparelho X-1, sob comando de Charles "Chuck" Yeager foi o primeiro aparelho a quebrar a barreira do som no dia 14 de outubro de 1947. A principal série foi a série "B" (Me 163B). Surgiu depois o Me 163C, com maior aerodinâmica graças ao nariz mais longo e mais baixo. Os três protótipos do Me 163C foram destruídos para que não fossem capturados pelos soviéticos. Já o Me 163D (mudado para Messerschmitt Me 263 ou ainda Ju 248) com apenas 1 protótipo que realizou voos planados e outros dois que foram destruídos.

 Messerschmitt Me 163B

Especificações: Me 163 B-1

(*)Características gerais

     Tripulação: 1
     Comprimento: 5,98 m (19 pés 7)
     Envergadura: 9,33 m (30 pés 7)
     Altura: 2,75 m (9 pés 0 cm)
     Área da asa: 18,5 m² (200 m²)
     Peso em vazio: 1.905 kg (4.200 lb)
     Peso carregado: 3.950 kg (8.710 £)
     Max. peso de decolagem: 4,310 kg (9.500 lb)
     Powerplant: 1 × Walter HWK 109-509A-2 foguete de combustível líquido, 17 kN (lbf 3.800)

*Performance

     Velocidade máxima: 1,060 km / h (596 mph)
     Alcance: 40 km (25 milhas)
     Teto de serviço: 12.100 m (39.700 pés)
     Taxa de subida: 160 m / s [38] [N 5] (31500 pés / min)
     Asa de carga: 213 kg / m² (43 lb / ft ²)
     Pressão / peso: 0,42

*Armamento

     Armas: * 2 × 30 mm (1,18 in) Rheinmetall Borsig MK 108 canhões (60 rpg)

Autor: Leandro CHH
 
COPYRIGHT – DIREITOS AUTORAIS.

Copyright © construindohistoriahoje.blogspot.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Construindo História Hoje”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Construindo História Hoje tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para http:/www.construindohistoriahoje.blogspot.com.br. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Construindo História Hoje que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Você quer saber mais?







LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.