-

-

sábado, 24 de março de 2012

“Resposta da Prefeitura de São Bento de Sapucaí – SP sobre a retirada do letreiro e busto de Plínio Salgado da Biblioteca Municipal”

Prezados leitores do blog Populista, informo aos senhores que no dia 23 de março recebi, através de e-mail do Secretario de Gabinete e Administração da Prefeitura de São Bento de Sapucaí – SP, resposta referente ao letreiro e busto de Plínio Salgado, que tinham sido retirados inadvertidamente da Biblioteca Municipal, e denunciado pelo Vereador Prof. Hermes Rodrigues Nery - PHS, durante seção da Camará de Vereadores, conforme demonstra o link: www.camarasbs.sp.gov.br/vereadores/altino/requerimentos_executivo/007-2011.pdf

Segue abaixo a resposta:

Caro Guilherme, boa tarde.
Informo-lhe que o busto de Plínio Salgado encontra-se em perfeitas condições e cuidados onde sempre esteve, ou seja, no hall da Biblioteca Municipal. Qualquer outra informação, favor entrar em contato.

Grato, Gilberto Secretario de Gabinete e Administração.

Outrossim, é importante esclarecer que solicitei ao Sr. Secretario uma nota oficial da Prefeitura, bem como um registro fotográfico demonstrando não só a população de São Bento de Sapucaí, mas a de todo o Brasil, que esta peça histórica se encontra em seu devido lugar, além de sugerir que o Município homenageie o escritor Plínio Salgado com o nome de um logradouro, já que sua história está entrelaçada com a da região, e esta justa homenagem ainda não foi realizada, diferente de outras cidades pelo Brasil, tais como Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.

Você quer saber mais?

http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2012/03/resposta-da-prefeitura-de-sao-bento-de.html

http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2012/03/letreiro-e-busto-de-plinio-salgado-sao.html

http://osigmareluzente.blogspot.com.br/2012/03/letreiro-e-busto-de-plinio-salgado-sao.html

http://construindohistoriahoje.blogspot.com.br/2012/03/letreiro-e-busto-de-plinio-salgado-sao.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.