-

-

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Reestruturação do integralismo no pós-guerra.

Em 1945, com a abertura política, ressurge uma organização integralista, embora não confessional naquela época, com o nome de Partido da Representação Popular (PRP). O Integralismo que prevaleceu com o PRP, foi mesmo o que era o da imensa maioria de seus adeptos – principalmente das cidades interioranas – baseado na doutrina espiritualista de Plínio Salgado.

A reestruturação do integralismo no pós-guerra também representou um rompimento com o determinismo em relação aos judeus, tristemente comum na sociedade brasileira da década de 1930, e especialmente presente em alguns das centenas de escritos de Gustavo Dodt Barroso, líder integralista, que abandonou a militância em 1946.

Tal tema controverso, o “anti-semitismo de Gustavo Barroso”, não é abordado aqui. Em cerca de 500 documentos escritos por Oswaldo Tagliavini, entre os anos de 1939 e 2004, consultados para a realização da obra “O Integralismo na cidade de Matão”, não há uma citação se quer à etnia judaica. O que nos mostra a relevância desse tema para os integralistas da época.

Você quer saber mais?

Ferreira, Marcus. O Integralismo na cidade de Matão: Oswaldo Tagliavini e sua máquina de fazer idéias, Rio de Janeiro, 2006.

Pompêo, A. Porque é que sou Integralista, Empresa Grafhica “Revista dos Tribunaes, São Paulo, 1935.

Salgado, Plínio. O Integralismo Perante A Nação, Livraria Clássica Brasileira, Rio de Janeiro, 1950.

O Integralismo e a Educação" - Rio de Janeiro - Livraria Clássica Brasileira/Edições GRD - s/data - 217 págs. - "Enciclopédia do Integralismo" - Vol.IX.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.