-

-

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Falando de Educação!


Os ensinamentos dados à juventude de um País permite de ser prever destinos desse País!

A educação da geração atual justifica as previsões mais sombrias. É em parte pela instrução e pela educação que se aperfeiçoa ou se altera a alma do povo. Seria, portanto, necessário mostrar como o sistema atual tem modelado a alma do povo e como a massa dos indiferentes e dos neutros vem se tornando progressivamente um imenso exército de descontentes, prontos para seguir todas as sugestões dos utopistas e dos demagogos.

A escola forma hoje descontentes e anarquistas, preparando assim, para o nosso povo a hora da decadência.

Gustave Le Bom in Psycologie dês Foules (1895)

Conceitos diversos

Sobre a educação

Educação não ensina apenas com palavras. Educação transmite-se principalmente através de exemplos!

Não devemos confundir ensino “ato de informar”, com educação “ato de formar”.

Para informar basta saber, mas, para formar é necessário ser!

Ao ensinar o professor tenta passar para seus alunos aquelas informações de que eles necessitam para se dar bem na vida.

Ao educar o professor edifica. Ele constrói personalidades, constrói caracteres. Cria perspectivas de vida, despertando em cada um o interesse pelo auto conhecimento, motivando-os para o próprio aperfeiçoamento e auto valorização, formando cidadãos conscientes e responsáveis!

Educar não é dirigir. Educar é mostrar caminhos. Educar não é fazer cabeças. Educar é despertar consciências. Educar é exercitar virtudes! E isso não se faz apenas com palavras!

Aqui uma ressalva: Quando falamos de ensino e de educação, não estamos falando de duas coisas, mas, de dois aspectos de uma mesma coisa; “Ensino” complemento da “Educação, esse processo através do qual nós tentamos motivar as pessoas a fazerem sempre somente o que é certo.

Sobre a cidadania

O que faz do indivíduo um cidadão não é apenas o fato de ele saber reivindicar os seu direitos, mas também, e principalmente, a maneira como ele assume as responsabilidades que lhe cabem perante uma sociedade da qual ele é parte integrante.

Sobre o equilíbrio social

O equilíbrio social não depende apenas das ações do governo, por mais justa e eficaz que sejam suas leis e suas instituições, mas também e principalmente, da soma das atitudes de cada cidadão, independentemente da posição que ocupe na escala social. Seja ele um membro integrante do primeiro escalão do governo ou um simples servidor; um grande empresário, ou um operário de fábrica; um rico fazendeiro ou um pobre lavrador.

Sobre a liberdade

A liberdade é um dom. não é um a concessão especial. O homem é livre por natureza. O homem nasce livre. Não é o Estado que lhe outorga a liberdade. Cabe ao Estado, isto sim, através de uma política austera, porém, justa e eficaz, preservar as condições necessárias para que o homem, no pleno gozo de sua liberdade, possa exercer o direito sagrado de realizar-se segundo seus próprios ideais.

Sobre a autoridade

Autoridade é o fator de equilíbrio entre os poderes. É a garantia de liberdade e segurança para todos os segmentos da sociedade.

Onde não há autoridade não há governo! Como instituição, autoridade é o conjunto harmônico dos três poderes, democraticamente constituídos, exercendo cada um, suas respectivas atribuições, com honestidade, honradez e competência.

É a isso que nós chamamos de “Estado Democrático de Direito”.

Ainda sobre a autoridade

Manifesto de outubro de 1932

Uma nação para progredir em paz, para ver frutificar seus esforços, precisa ter uma perfeita consciência do princípio de autoridade.

Precisamos de autoridade capaz de tomar iniciativas em benefício de todos e de cada um; capaz de evitar que os ricos, os poderosos, os estrangeiros, os grupos políticos exerçam influência nas decisões do governo, prejudicando os interesses da Nação.

Sobre o Estado Democrático de Direito

O Estado Democrático de Direito tem que ter em si mesmo os elementos de sua própria defesa. Deve basear-se em leis e instituições justas e eficazes. Tem que ter o poder de se fazer respeitar, fazendo com que suas leis sejam reconhecidas, aceitas e respeitadas, para então merecer a confiança do povo e assim poder contar com o respeito e o apoio indispensável de toda a sociedade.

Tem que ser motivo de orgulho para todos e não motivo de constrangimento!

Sobre o Abuso do Poder

Abuso de poder não é apanágio dos governos autocráticos. O regime atual (que convencionamos chamar de democracia) está repleto de onde o abuso de poder se dá, ora pela ingerência do Executivo no legislativo; ora pelas ações do próprio Legislativo, quando parlamentares se comprometendo-se com grupos empresariais e com organizações suspeitas, e até mesmo com organizações criminosas, esquecem o compromisso assumido com seus eleitores, e passam a legislar em favor daquelas organizações; ou ainda quando o Poder Judiciário dividido numa disputa vergonhosa entre o poder que prende e o poder que manda soltar, pratica sem qualquer escrúpulo a pior forma de abuso de poder, vendendo sentenças, vendendo habeas corpus.

Você quer saber mais?

http://construindohistoriahoje.blogspot.com/search/label/INTEGRALISMO

http://www.integralismo.org.br


http://www.historia-do-prp.blogspot.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.