-

-

domingo, 31 de outubro de 2010

O MERCOSUL, PARA OS INTEGRALISTAS É SONHO ANTIGO.

O Mercosul e o Integralismo

Leonardo Matos*

Muitos desinformados ou mal intencionados falam do Integralismo sem saber realmente o que significa a Ideologia do Sigma. Muitos sabem que se o Integralismo cair novamente no conhecimento público, um levante centena de vezes maior que o da década de 30 irá varrer nossa nação em demonstração de amor e paixão a pátria. O acesso ao verdadeiro Integralismo está sendo facilitado graças a Internet, e com isso os comunas e neoliberais já começam a espernear mentiras sobre o integralismo visando minar nossa inevitável reconstrução. As propostas do Integralismo são coerentes, realistas e por mais antiga que a doutrina seja, suas idéias permanecem atuais.

Um exemplo disso é o Mercosul, que passa nos tempos de hoje por uma séria crise, pois o governo Brasileiro se acovardou e não tomou o comando do Mercosul. O Brasil tem que ser o país líder do Mercosul, pois tem tamanho geográfico e acima de tudo potencial econômico para isso.
Num Estado Integralista, o Mercosul estaria funcionado a pleno vapor, com todos os paises Sul-Americanos potentes economicamente para fazer valer seus direitos Internacionais. Num Governo Integralista o Brasil seria o carro chefe de um bloco econômico forte e nacionalista.
O Mercosul, idéia que para os desinformados surgiu apenas recentemente, para os Integralistas já é um sonho antigo. A prova disso está nessa transcrição do "Manifesto Programa da Ação Integralista Brasileira" (1936), que era o programa que a AIB utilizou na campanha para a eleição presidencial de Janeiro de 1938, e que não aconteceu devido ao golpe de Getúlio Vargas em 10 de Novembro de 1937.

O programa dizia no capitulo que trata da política externa Brasileira:

"Antes de tudo, criar um espírito novo, absolutamente novo, na diplomacia brasileira, reatando as tradições históricas e, ao mesmo tempo, elevando o nível cultural e técnico de todo o funcionalismo do Ministério do Exterior, criando um clima de entusiasmo e supervisão de problemas de ordem externa, renovando a consciência e a mentalidade diplomática, empreendendo assim uma obra de grande envergadura como jamais se imaginou no Brasil. A objetivação de uma unidade moral, cultural, política e econômica na América do Sul; a completa independência do Continente Sul-Americano das influências de estranhos; a uniformidade de ação, a solidariedade completa na solução dos problemas comuns às nacionalidades do Novo Mundo, desde os de ordem econômico-financeira aos culturais - eis um plano a ser executado com firmeza e habilidade, com espírito de fraternidade continental e de brio latino-americano".

E dizia ainda:

"O Integralismo não compreenderá senão como uma vil humilhação para os povos do Continente a mais leve interferência de nacionalidades a ele estranhas na solução de litígios, sejam eles quais forem, entre os países livres da América do Sul. Executar uma política firme, que, gradualmente, extinguindo desconfianças recíprocas, consolide a amizade entre as Nações Latinas do Novo Mundo, marche, com segurança, para a realização de uma grande unidade continental, é um dos grandes propósitos do Integralismo. Pois o Integralismo não deseja apenas a libertação do Brasil, mas de todos os seus irmãos deste hemisfério".

E o programa Integralista trata agora, veja bem, EM 1937, quando a política econômica Sul-Americana ainda era levada no modo "cada um por si", da criação do Mercosul:

"Já é tempo de se pensar na extinção das barreiras alfandegárias entre as Nações sul-americanas, na criação de um Instituto econômico e político, permanente, em que se representarão todos os governos dessas Nações, estabelecendo as bases de uma consciência jurídica própria, de um critério econômico-financeiro uniforme, de uma política homogênea, sem hiatos, sem tergiversações, de uma cultura expressiva das forças profundas da América Latina. Obra para várias gerações, ela se iniciará com a projeção intelectual, econômica e sentimental do Brasil, que só se poderá realizar mediante um novo espírito de política exterior, que o Integralismo pretende criar".

E isso é apenas um dos exemplos, encobertos pela mídia, agente da manipulação histórica anti-integralista, que mostra que o Integralismo mesmo antes de existirem PTs e PSDBs, antes da criação de PMDBs e PFLs, antes da politicagem tomar o lugar da política, em nosso pais, já anunciava e previa todas as medidas que melhorariam a vida do Brasil. Muitas idéias Integralistas hoje são postas em prática. Isso é bom, porém os agentes que põem em prática essas medidas alem de não lembrar o nome do Integralismo ainda o esculacham falsamente quando tem oportunidade.

* Σ – São Paulo – SP

Você quer saber mais?

http://www.integralismo.org.br

http://www.integralismorio.org

http://www.integralismo.blogspot.com

http://www.osigmareluzente.blogspot.com

Quem são os Mórmons?

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos do Últimos dias.

Surgiu nos Estados Unidos, em 1830, com o visionário norte-americano Joseph Smith (1805-1844). O nome completo e oficial da igreja é: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O nome da Igreja está relacionado com o fato de estarmos vivendo os últimos dias antes do fim do mundo, segundo seus ensinamentos. O livro sagrado chama-se O livro de Mórmon, o qual foi traduzido por Joseph Smith, em 1830. Apesar do nome, não são reconhecidos como uma religião cristã, pois adotam O livro de Mórmon como norma e não aceitam as principais doutrinas cristãs, como a Trindade, a Ressurreição, a Redenção e outras.

Missionários Mórmons, denominados pela igreja "Elder".

Aos quinze anos de idade, Joseph Smith ficou profundamente impressionado ao ler a epístola de São Tiago 1:5: "se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, e ele dará porque é generoso e dá com bondade a todos". Em 25 de setembro de 1820, saiu pelos campos de Manchester, Estado de Nova York, onde foi envolvido por uma luz fortíssima e ouviu: "este é meu filho muito amado, escutai-o!". Os mensageiros revelaramlhe ainda que todas as religiões existentes no mundo eram erradas e que não se filiasse a nenhuma delas.

Na época, seus pais estavam ligados a Igreja Presbiteriana e participavam ativamente da cruzada de reavivamento espiritual naquela região.
Três anos mais tarde, um anjo incumbiu-lhe de uma missão: restaurar a Igreja de Jesus Cristo. Teria inicialmente de traduzir escritos feitos catorze séculos antes por Mómon (pai do anjo Moroni que apareceu a ele, mas Moroni agora um ser glorificado como a crença da igreja na qual o espirito evolui até se tornar um "deus") e cujo nome se originou da combinação de MORE, que quer dizer mais, em inglês, com MOM, que significa bom, em egípcio.

Esses escritos estariam contidos em placas de ouro escondidas nas proximidades da Palmyra, nos Estados Unidos. Nestes escritos, conforme dissera-lhe o anjo chamado Moroni, encerrava-se a plenitude do Evangelho eterno, assim como foi entregue pelo Salvador aos antigos habitantes da América.

Em 22 de setembro d 1827, Joseph Smith teria recebido o livro em forma de placas de ouro. Mesmo não conhecendo outras línguas além do inglês, traduziu e decodificou o livro, que foi concluído em julho de 1829 e impresso em 1830. Em seguida, as placas de ouro foram devolvidas aos céus.

Inicialmente três e, depois, mais oito homens afirmaram terem visto este livro. O livro de Mórmon narra a história de civilizações antigas e, em especial, a história da chegada de uma família na América do Norte. Esta família se dividiu em dois grupos: lamitas, de cor negra, e os nefitas, de cor branca. Mórmon descendia dos nefitas, e seu filho Moroni foi o autor das plaquetas de ouro, que deram origem ao livro de Mórmon.

No dia 6 de Abril de 1830, em casa de Peter Whitmer, na cidade de Fayette, condado de Seneca, Nova York, Joseph Smith e mais cinco homens reuniram-se e organizaram a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Naquela data, Joseph tinha 24 anos e os outros cinco eram mais ou menos da mesma idade. Durante esta reunião, Joseph recebeu uma revelação pela qual foi designado vidente, profeta e apóstolo de Jesus Cristo. Desde aquele dia ele tem sido chamado de "profeta".

Acreditam que O livro de Mórmon é o livro mais correto da Terra, a pedra fundamental da sua religião e que, seguindo seus preceitos, o Homem se aproximará de Jesus Cristo. O batismo é por imersão e a partir dos sete anos de idade, porque a criança, antes desta idade é considerada anjo e não tem pecados.

Batizam-se também pelos mortos, daí a importância da pesquisa genealógica e da identificação do nome através de plaquetas.

São evolucionistas e acreditam que Deus também evoluiu. A alma preexiste, Deus é aquilo qu o HOmem poderá ser, e o homem é o que Deus já foi, dizem eles. Ao matrimônio atribuem um valor especial. O casamento realizado no templo é eterno, e, mesmo depois da morte, o casal continua casado. A comunhão é feita com pão e água. O domingo é um dia sagrado, é o dia da família. A familia é eterna e recebe uma atenção especial. Joseph Smith permitiu a poligamia para proteger as viúvas de guerras.

A igreja é acusada de ser racista, pois não permitia homens de cor em sua diretoria ( por serem descendentes do Lamitas).

Outra caracteristica da Igreja é o fato de armazenarem alimentos, a fim de estarem preparados para a vinda de Cristo. A hieraquia da Igreja segue uma forma piramidla. No topo, o presidente, depois os doze profetas, seguidos por um grupo maior de setenta bispo, e por último os sacerdotes.

O centro mundial dos mórmons fica em Salt Lake City, estado de Utah, nos Estados Unidos, onde existe a maior e mais completa biblioteca genealogica do mundo. No Brasil, o centro fica em São Paulo.

Leandro CHH

Você quer saber mais?

Kuchenbecker, Valter. O Homem e o Sagrado, 1998.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.