-

-

quinta-feira, 24 de junho de 2010

A ORIGEM DO FUTEBOL

A evolução da bola


A Idade das Trevas


Quem pode afirmar quando começou o jogo? Chutar é uma ação bem instintiva, por isso, sem dúvida, o homem da Idade de Pedra deu, sem querer, uma batida numa pedra ou num osso com seu pé e, talvez, um dia alguém chutou de volta e tudo começou assim.
Contudo, as primeiras indicações de uma maneira formal primitiva de futebol datam de 3000 anos atrás na China da Antiguidade. Uma partida jogada com uma bola de pele de animal recheada de pelo ou penas que era chutada entre estacas de cerca de 10 metros de altura e era, muito provavelmente, utilizada para treinamento militar. Em 50 dC, o jogo foi denominado tsu chu e registros antigos comparam a bola redonda e o gol quadrado como Yin e Yang, os símbolos antigos da harmonia.




Provavelmente, o futebol começou há 3000 anos atrás na China. Esta aquarela mostra Kemari, uma versão japonesa cerimonial do jogo. Ilustração cortesia do Museu Nacional do Futebol, em Preston, Reino Unido.


Os gregos e romanos foram os maiores expoentes de jogos. Construíram arenas por todo seu império e transformaram tudo em teatro, desde corridas de carruagem até combates de gladiadores, em que ferimentos graves ou mesmo a morte eram coisas naturais e faziam parte do espetáculo. Comparado a isso, chutar uma bola parece sem graça, todavia, há indicações de que eles jogavam um tipo de futebol também. No caso dos gregos, era chamado de “episkyros”, e dos romanos, um jogo chamado “harpustum” – mas ambos eram principalmente jogos em que a bola era carregada.
“Harpastum” veio da palavra grega “Harpazein” que significa agarrar. A bola era pequena, quase do tamanho de um melão, e dura, principalmente porque era recheada com areia. O jogo acontecia num campo demarcado, com cada jogador em uma posição como hoje, e os times, provavelmente, formados de 12 jogadores. O jogo mesmo era mais parecido com o rugby, com mais arremessos que chutes, e exigia considerável agilidade. As regras, parece, eram inversas ao do futebol, uma vez que o objetivo era fazer com que a bola permanecesse atrás da linha central, em seu próprio lado, e não permitir que o adversário a pegasse. Os gols eram marcados se a bola batesse no chão.


“Harpastum” veio da palavra grega “Harpazein” que significa agarrar. A bola era pequena, quase do tamanho de um melão, e dura, principalmente porque era recheada com areia. O jogo acontecia num campo demarcado, com cada jogador em uma posição como hoje, e os times, provavelmente, formados de 12 jogadores. O jogo mesmo era mais parecido com o rugby, com mais arremessos que chutes, e exigia considerável agilidade. As regras, parece, eram inversas ao do futebol, uma vez que o objetivo era fazer com que a bola permanecesse atrás da linha central, em seu próprio lado, e não permitir que o adversário a pegasse. Os gols eram marcados se a bola batesse no chão.


Dizem que os Vikings chutavam as cabeças de seus inimigos, o que não era um comportamento muito agradável, mas as sociedades um pouco mais civilizadas, como os japoneses, persas, egípcios, assírios e índios norte-americanos, todos jogavam um tipo de jogo com bola. Os astecas no México desenvolveram seu próprio jogo de chutar, para o qual utilizavam uma pedra coberta com uma fina capa de resina. O jogo, conhecido como “tlatchi”, acontecia entre dois times com sete homens e era uma atividade cultural muito importante. Os jogos aconteciam em estádios construídos para este fim e apostavam-se grandes somas de dinheiro nos resultados.
A essência toda do futebol está em seu implemento mais simples – a bola. E tem de ser um tipo especial de bola, também, com a habilidade de voar pelo ar quando direcionada pelo jogador e – o mais importante – repicar de forma previsível. Foi, de fato, somente com o desenvolvimento de uma bola que repicava e a pura satisfação em chutá-la de jeitos variados, que fez do futebol o jogo mais popular e de maior sucesso no mundo.


VOCÊ QUER SABER MAIS?


Pearson, Harry (25/11/2005). Premiership could learn from Titchy Kid and Hogger (em inglês). The Guardian. Página visitada em 19/06/2010.


Massarani, Abruccio. Luisa,Marcos,BOLA NO PÉ: A INCRÍVEL HISTÓRIA DO FUTEBOL. Editora: CORTEZ, ISBN: 85-249-0993-5.


Saldanha,João em seu livro "O Futebol" - Bloch Editores, Rio de Janeiro, 1971, pg. 46.


http://www.museudosesportes.com.br/noticia.php?id=1362

http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.