-

-

terça-feira, 1 de junho de 2010

AKHENATON O VISIONÁRIO!

Akhenaton (Dinastia XVIII)




Nascimento:Amenófis("Amon está satisfeito")


Adaptado:Akhenaton ("Símbolo Vivo de Aton")


Trono:Neferkheperuré


Anos de Reinado: (1353-1335 A.C)


Akhenaton foi o único faraó a impor um monoteísmo religioso em toda a história do antigo Egipto.


Esta época é conhecida hoje de período Amarniano.


História: A infância de Akhenaton foi passada no palácio de Malgata em Tebas. O nome de nascimento de Akhenaton é Amenófis ("Amon está satisfeito"). Tinha o mesmo nome do seu pai, tendo iniciado o seu reinado, com cerca de 15 anos de idade, ainda como Amenófis IV. Ao quinto ano do seu reinado passou a usar o nome de Akhenaton ("Símbolo Vivo de Aton"). Com esta mudança todo o Egipto mudou. Akhenaton levou o culto de Aton, já existente no antigo Egipto ao extremo, abolindo por completo os cultos a outros deuses e começou a construir uma nova capital; Akhetaton na actual Tell el-Amarna num local virgem até então nunca consagrado a nenhum deus, iniciando assim a revolução Amarniana, que iria modificar todos os aspectos da vida egípcia. Reinou durante cerca de 18 anos.


Antecessor: O antecessor de Akhenaton foi o seu pai Amenófis III ("Nebmaatré") (1391-1353), que foi casado com a raínha Tïe. Akhenaton tornou-se faraó, porque o seu irmão mais velho Tutmósis faleceu (desapareceu misteriosamente) prematuramente. Provávelmente o início do seu reinado foi em co-regência com o seu pai.


Sucessor: Alguns anos antes da sua morte Akhenaton terá nomeado para seu co-regente, Semenkharé, que teria casado com uma das sua filha, Meritaton. A princesa Meritaton tinha sido também sua esposa principal depois da morte (desaparecimento) de Nefertiti no ano 13 ou 14 do seu reinado. Pensa-se que Semenkharé era irmão de Akhenaton. Outros investigadores pensam que Semenkharé foi o nome adoptado por Meritaton, para poder reinar o Egipto.


Esposas: A esposa principal de Akhenaton até ao 12º ano do seu reinado foi Nefertiti, tendo desaparecido da cena política. Viria a falecer no 14ºano do seu reinado. Akhenaton teve seis filhas de Nefertiti. Uma delas, Meritaton, que viria a ser também esposa principal a partir do 12ºano do seu reinado. Meriquetaton e Ankhesenpaaton (Tornar-se-ia esposa de Tutankhamon). Tadukhepa, princesa de Mitanni, reino vizinho e aliado do Egipto, também foi uma das esposas de Akhenaton.


Construção/Arte: A primeira empreitada de Akhenaton foi a construção em Karnak do templo dedicado a Aton, que foi destruído por ordem de Horemheb. No ano 6 do seu reinado começou a construção da sua nova capital em Akhetaton (O horizonte de Aton) na actual Tell el-Amarna, onde reinou (e nunca a abandonou) até à sua morte. Esta nova cidade também foi vítima de Horemheb que mandou arrasá-la. A arte Egípcia mudou radicalmente durante este reinado. O faraó e a sua família deixaram de ser representados em cerimónias protocolares rígidas. A arte Armaniana caracterizou-se pela representação da família real em cenas do quotidiano. O faraó era sempre representado com o disco solar de Aton e os seus braços que o protegiam. Akhenaton tentou representar o faraó não como um simples mortal mas a de um verdadeiro profeta de Aton e o intermediário entre o seu deus e os homens. A figura do faraó passa a ser representada como um ser andrógino (corpo de características masculinas e femininas).


Política: A política de Akhenaton, virou-se principalmente para questões religiosas. Desde o início do seu reinado que Akhenaton se vê como um sacerdote. Enquanto todos os faraós da dinastia XVIII se vêm como "Governantes de Tebas", Akhenaton considera-se "Governante Divino de Tebas". Fez-se sempre representar como um ser andrógino. As colossais estátuas descobertas em 1925 perto do templo de Karnak mostram-no como uma figura de carácter desconcertante, mesmo grotesco. Para os outros assuntos de estado este faraó rodeou-se de colaboradores da sua confiança. Aï, seu sogro, foi primeiro ministro. Maia, o seu tesoureiro real. Paatonemheb (futuro faraó com o nome de Horemheb) era o supremo comandante do exército do norte, o general Minnakht comandava o exército do sul, e alguns estrangeiros como altos colaboradores do estado Egípcio.


Túmulo/Morte: Com a morte de Akhenaton, todo e Egipto entrou num confronto entre os adeptos de Aton e os de Amon. No reinado do faraó seguinte os adeptos de Aton moveram perseguições a todos os que se opunham a este Deus. Mais tarde nos reinados de Horemheb e seguintes as referências a Akhenaton foram alvo de destruição e o seu culto monoteísta foi esquecido e proibido. Akhenaton recusou-se a ser sepultado no Vale dos Reis, tendo preferido ser sepultado no túmulo real de Akhetaton (não há provas disso). O seu corpo nunca foi encontrado.

Você quer saber mais?

http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.