-

-

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Como despertar o melhor das pessoas.

Como uma mãe inspirava seus filhos

Será que você entende a importância da família?

A fazenda Lazy B tem trezentos e noventa quilômetros quadrados de pequenos arbustos na fronteira do Novo México com o Arizona e pertence à família Day desde 1881. Quando Harry e Ada Mae Day estavam para ter seu primeiro bebê viajaram 300 quilômetros até El Paso para o parto, e Ada Mae trouxe a recém-nascida, Sandra, de volta para casa, para uma vida muito difícil. A casa de barro, com quatro peças, não tinha eletricidade nem água corrente. Não havia escola por perto. Poderíamos pensar que com recursos tão limitados o futuro intelectual de Sandra seria restrito.

Mas, Harry e Ada Mae eram sonhadores que não aceitavam as limitações das circunstâncias externas. Harry for forçado pela morte de seu pai a assumir a fazenda ao invés de ingressar na Universidade de Stanford, mas ele nunca perdeu as esperanças de sua filha um dia estudar lá. E Ada Mae continuou assinando os jornais das grandes cidades e revistas como Voge e o The New Yorker.

Quando Sandra tinha quatro anos, sua mãe começou a aplicar com ela o método Calvert de instrução caseira e mais tarde cuidou para que fosse para os melhores internatos. Alan, irmão de Sandra, conta que num verão os pais deles os puseram no carro e mostraram todas as atrações turísticas e culturais a oeste do Mississipi. “Nós subimos no topo de todos os edifícios até chegar a hora de voltar para casa”, disse ele.

Sandra realmente foi para Stanford, depois para a Escola de Direito, e finalmente tornou-se a primeira juíza da Suprema Corte da Justiça dos Estados Unidos. No dia de seu juramento, a família Day estava presente, é claro. Durante a cerimônia, Alan a olhava de perto quando ela vestiu a toga e caminhou para tomar o seu lugar entre os juízes. “Ela olhou ao redor, viu a família e olhou fixamente para ela”, disse Alan. “Foi ai que as lágrimas começaram a cair.”

A Juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos, Sandra Day O'Connor

Qual é a causa de uma mulher como Sandra Day O’Connor ter ido tão longe? Inteligência, é claro. E muito impulso interior. Mas grande parte do crédito vai para uma pequena e decidida mulher do campo, sentada na sua casa de barro à noite, lendo para os seus filhos horas seguidas, e também para o casal que subiu as escadas dos arranha-céus com os filhos no colo.

Você quer saber mais?

McGinnis, Allan Loy. Como Despertar o Melhor das Pessoas, São Leopoldo, Editora Sinodal, 1993.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.