-

-

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

56° FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE

BELEZA, CHEGOU A 56° FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE

A Feira do Livro de Porto Alegre é uma das mais antigas do País. Sua primeira edição ocorreu em 1955 e seu idealizador foi o jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias. Inspirado por uma feira que visitara na Cinelândia no Rio de Janeiro, Marques convenceu livreiros e editores da cidade a participarem do evento.

O objetivo era popularizar o livro, movimentando o mercado e oferecendo descontos atrativos. Na época, as livrarias eram consideradas elitistas. Por esse motivo, o lema dos fundadores da primeira Feira do Livro foi: Se o povo não vem à livraria, vamos levar a livraria ao povo.

A Praça da Alfândega era um local muito movimentado na Porto Alegre dos anos 50 e de 400 mil habitantes. E, no dia 16 de novembro de 1955, era inaugurada a 1ª Feira do Livro, com 14 barracas de madeira instaladas em torno do monumento ao General Osório.

Na segunda edição do evento, iniciaram as sessões de autógrafos. Na terceira, passaram a ser vendidas coleções pelo sistema de crediário. Nos anos 70, a Feira assumiu o status de evento popular, com o início da programação cultural. A partir de 1980, foi admitida a venda de livros usados. E, na década de 90, conquistou grandes patrocinadores, estimulados pelas leis nacional e estadual de incentivo à cultura.

A infra-estrutura foi ampliada e modernizada, os eventos culturais se consolidaram e a Feira passou a receber grandes nomes do mercado editorial brasileiro e internacional.

Patronos em 42 edições

A Feira do Livro de Porto Alegre adotou a tradição de eleger um patrono na 11ª edição, escolhendo o jornalista, político e escritor Alcides Maya. Os patronos eram eleitos entre escritores e livreiros significativos para o mercado editorial gaúcho e já falecidos. Entre os anos de 1965 e 1983, foram homenageados 13 escritores gaúchos, um jornalista, três livreiros e dois escritores estrangeiros.

Em 1984, a 30ª edição inicia uma nova fase. O patrono Maurício Rosenblatt, um dos fundadores e grande incentivador da Feira, é o primeiro homenageado em vida. A partir desse ano, os patronos passaram a ser escritores gaúchos ou radicados no Estado em atividade.

Na 40ª edição, a Câmara do Livro fez uma homenagem a outros fundadores do evento. Foram escolhidos como patronos Nelson Boeck, Edgardo Xavier, Mário de Almeida e Sétimo Luizelli.

Patrono


Paixão Côrtes

Paixão Côrtes nasceu em Santana do Livramento, em 1927. É agrônomo, folclorista, compositor, radialista e pesquisador da cultura brasileira. Ícone da cultura gaúcha, foi modelo do monumento Laçador, erguido em 1958, o principal símbolo de Porto Alegre. “Em minhas pesquisas, julgo representar a identidade cultural do povo, sempre com a preocupação de preservar os seus valores e projetá-los no cenário universal”, explica. Com seus livros, Côrtes buscou resgatar e compilar as tradições folclóricas para mostrar aos outros quem nós somos. Na Feira, por outro lado, terá a oportunidade de encontrar o que o universo está dizendo. “Você tem que saber quem você é, mas também o que você pode aprender com os outros. A compreensão humana leva à paz universal”, filosofa.

Responsável pelo renascimento do tradicionalismo, é o idealizador da Chama Crioula, da Ronda Crioula, do Candieiro Crioulo e idealizador das comemorações da Semana Farroupilha, em 1947. Publicou uma série de livros, que hoje são considerados clássicos da cultura gaúcha, como Manual de danças gaúchas (1956), com Barbosa Lessa e Danças e andanças da tradição gaúcha (1975). Em 2006, teve sua obra "Folclore Gaúcho - Festas, Bailes, Música e Regionalidade Rural" reeditado pela Corag. O conteúdo é resultante de mais de 50 anos de pesquisas. Seu livro mais recente é Músicas, Discos e Cantares - Um resgate da história fonográfica do Rio Grande do Sul, publicado em 2001. Realiza um amplo trabalho de divulgação da cultura gaúcha em palestras em escolas, piquetes e CTGs, onde distribui gratuitamente seus livros. Atualmente, desenvolve pesquisa, que já conta com mais de 700 páginas, sobre danças gaúchas para uma nova publicação.

Horário de funcionamento: a partir das 9h30min, na Área Infantil e Juvenil, e a partir das 12h30min, na área Adulto. As atividades se encerram às 21h, podendo ser prorrogadas até 22h, a critério da Comissão Organizadora.

O Balcão de Informações da Feira do Livro está situado na área central da Praça da Alfândega. Além de distribuir material sobre o evento, a equipe está preparada para dar orientações e tirar dúvidas. Um posto de informações também está disponível no Cais do Porto.

# Praça da Alfândega
# Cais do Porto (Avenida Mauá, altura da Praça da Alfândega)
# Avenida Sepúlveda
# Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (Rua dos Andradas, 1.223)
# Memorial do Rio Grande do Sul (Praça da Alfândega, s/nº)
# Santander Cultural (Praça da Alfândega, s/nº)


Confira a distância entre a feira e principais pontos de referência da capital:

AEROPORTO INTERNACIONAL SALGADO FILHO - 7,5 Km

RODOVIÁRIA (ESTAÇÃO CENTRO) - 1,4 Km

PONTE DO GUAÍBA - 4,5 Km

USINA DO GASÔMETRO - 0,7 Km

Assessoria de Imprensa Feira do Livro de Porto Alegre:

E-mail: imprensa@feiradolivro-poa.com.br

Telefone: 51 3311-8850

Tatiana Csordas: 51 8111-8734

Simone Lima: 51 8105-2917

Sheila Meyer: 51 9977-9966

Daniele Ghidini: 51 9972-0411



Você quer saber mais?


http://www.feiradolivro-poa.com.br

http://www.camaradolivro.com.br ou pelo telefone (51) 3286-4517.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.